A escritora francesa, Corinne Maier, defende que é necessário parar de “fingir” que filhos são sinônimos de felicidade, porque nem sempre isso é real.

Dessa forma, para muitas mulheres, a maternidade é uma realização de um sonho e uma transformação na sua vida, assim tornando-a melhor. Entretanto, para outras, essa transformação não é vista como positiva.

A psicanalista, Corinne Maier, de 57 anos, tem dois filhos. Assim, sendo uma das mães que não viu essa mudança como forma “boa”. De acordo com uma entrevista ao BBC, a escritora falou sobre o seu sentimento em relação a maternidade.

Ela diz que a nossa sociedade se tornou “obsessiva” por esta questão sobre filhos e que as crianças são vistas para mostrar que estão bem-sucedidos, felizes e tudo por conta de status social.

Por isso, aqueles que não tem filhos, são considerados egoístas e “inferiores”, de modo que são “obrigados” a justificar a sua escolha.

A escritora afirma que “criar um filho é 1% de felicidade e 99% de preocupação”, pois criar um ser humano demanda muito tempo e que é cansativo demais. Ela compartilha que ao criar os seus dois filhos a levou à falência.

No final da entrevista, ela deixa uma mensagem polêmica às crianças: “Bem-vindas e boa sorte na entrada neste mundo podre, que seus pais, que te amam muitíssimo, te deixaram.”

Em 2009, Corinne escreveu um livro chamado “Sem crianças: 40 boas razões para não se ter filhos”. Nesse livro, ela analisa a idealização e glamourização da maternidade.

Imagem de Capa: Reprodução





Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!