Não viemos a esse mundo para viver a realidade dele. Sem saber disso, crescemos acreditando que somos formados para ter sucesso profissional, construir um patrimônio, uma família. Desejamos curtir o melhor da vida. O que para alguns pode ser simplesmente ir até um bar de bicicleta, tomar uma com os amigos, ter muitas conquistas amorosas no currículo, pular carnaval, jogar futebol e fazer muita festa.

E não há crime nisso. Mas não é por esta razão que estamos aqui.

Nosso objetivo nesse mundo, na verdade, é viver a realidade do nosso complexo universo, o qual, conforme comprovaram os cientistas, é feito da mesma matéria que a alma. Por isso, por trás de todas as nossas escolhas existe um mistério que desconhecemos. Por exemplo: quando optamos por uma carreira, essa decisão tem muito mais a ver com nosso carma no mundo do que com comprar o carro do ano. Tal profissão irá nos ajudar a resolver pendências da nossa alma e zerar os débitos de outras vidas. Se alguém escolhe ser jornalista e buscar a verdade, talvez na vida passada tenha mentido muito. Se escolhe ser médico e salvar vidas, talvez tenha ido à primeira guerra mundial e matado muita gente.

Quando se decide casar, muitas vezes, é uma decisão que o próprio casal tomou antes mesmo de vir para esse mundo. Não nos relacionamos aleatoriamente. Na verdade, é a memória da alma o levando ao encontro de quem você precisa viver certas experiências ou provações para resolver carmas relacionados a sua missão como ser humano de forma bem-sucedida. Por exemplo, o casal tem um filho com uma limitação cerebral. E esse bebê pode ter uma alma, a qual habitou um corpo que se atirou de um prédio na vida passada causando sérios danos à cabeça e, de alguma forma, seus pais atuais fizeram parte dessa terrível decisão. Então, agora chegou a hora de resgatarem juntos os erros cometidos. Por isso, é tão importante superar desavenças familiares evitando falhar em relação as incumbências que recebemos nesse novo corpo. Por outro lado, com o carma resolvido, é chegado o momento de seguir suas próprias vidas e outras missões.

A sorte também não existe.

É a colheita dos bons frutos que plantamos em outras encarnações. Se você trabalha duro nessa vida, mas não consegue progredir financeiramente, talvez, na próxima, você nasça melhor de vida sabendo respeitar as dificuldades alheias. O aprendizado dessa vida pode ser apenas uma preparação para a que vem a seguir.
Se você encontrou uma pessoa que o ama como ninguém, provavelmente na última vida você a ajudou tanto em sua missão que agora ela veio apenas para amar você.

Portanto, para viver a realidade da alma é fundamental compreender que NÃO fomos feitos para curtir a vida. Não estamos aqui para nos satisfazer, para usufruir do que o planeta tem a nos oferecer. Não que isso seja um erro. Mas somos nós que estamos a serviço do planeta. E não o contrário.

Viemos para deixar uma marca positiva nesse plano e com isso elevar o nosso espírito. Precisamos abrir os olhos para ver com o coração que a realidade desse mundo é fugaz e supérflua.

A realidade da alma é que consiste na grande verdade do universo.

Todos os problemas que o mundo vive hoje: violência, exploração, dinheirocentrismo, aquecimento global, vêm em função da falta de conexão das pessoas com sua própria alma.

Somente quando entendermos que essa é a transformação de pensamento que a humanidade precisa, nossa vida aqui entrará em sintonia com o mistério da existência, e mais alinhados ao criador do Universo, estaremos. Somente quando nosso egoísmo comportamental for tomado pela ideia de que precisamos trabalhar pelo bem comum e pelo cuidado do nosso planeta é que finalmente teremos um paraíso em paz e seremos felizes como tanto almejamos.

Sim, somos nós que escrevemos nossa história de vida. O que nos falta compreender é que é uma história escrita no antigo caderno de Deus.

Por: Luciano Cazz

COMPARTILHAR

VEJA TAMBÉM





COMENTÁRIOS




Luciano Cazz
Ator e escritor. Autor do livro "A tempestade depois do arco-íris"e do blog Inspirando Luz.