Terminar um relacionamento não é fácil. Isso, aliás, é inquestionável. O problema é que as pessoas supervalorizam a dor e esquecem que a vida acontece além da saudade. Não dá para viver o ciclo: saudade- noites em claro – memórias boas e recaídas para o resto da vida. É preciso muita coragem e muita maturidade para fechar a porta e não olhar para trás.

É ingenuidade acreditar que o fim de uma relação não traz sofrimento. Traz sim e muito! Afinal de contas a rotina, os projetos e os sonhos são interrompidos e um novo caminho é aberto diante dos nossos olhos.

Nesse estágio, as emoções se confundem e as pessoas entram em uma crise psicológica de que “nada mais dará certo”, “ficarei sozinho para sempre” ou “não irei suportar” e, essa explosão de medo e insegurança, faz com que muitos casais prefiram permanecer em relacionamentos abusivos, tolerem ofensas e aceitem agressões por medo do novo e da ruptura de expectativas.

“As pessoas temem tanto a própria companhia que a palavra “solidão” é quase uma ofensa social.”

A primeira razão que faz com que as pessoas permaneçam em relacionamentos fracassados é o medo de sofrer (como se já não estivessem sofrendo mais do que o normal). A segunda razão é medo da solidão. As pessoas temem tanto a própria companhia que a palavra “solidão” é quase uma ofensa social. E, por fim, a terceira razão é o pavor do novo. As pessoas permanecem em suas zonas de conforto porque acreditam já estarem acostumadas com esse tipo de sofrimento.

Todos nós já passamos pelo término de situações que julgávamos seguras e eternas. Pode ser um bom emprego, um relacionamento sério, uma estabilidade financeira segura, mas o fato é que, em algum momento da vida, fomos desafiados a provar o próprio controle emocional e a comprovar que somos mais fortes do que poderíamos imaginar.

É preciso entender que nem todo fim é ruim, pelo contrário, é uma oportunidade de reflexão, crescimento e maturidade para ambos. Quando somos capazes de romper as cadeias que nos prendem ao comodismo abusivo, percebemos que a vida acontece além do que nossos olhos são capazes de ver.

“(…) quanto mais alto você voa, maior é a queda.”

Somos românticos por natureza e queremos acreditar que uma segunda, terceira ou quarta chance será necessária para que o relacionamento dê certo, mas esquecemos que essas situações só pioram o emocional dos envolvidos. É aquele ditado: quanto mais alto você voa, maior é a queda.

Quer um conselho? Não se dê o luxo de parar sua vida para curtir a dor! Você não precisa disso. O fato de um relacionamento não dar certo não quer dizer que outro não irá dar. Dedique seu tempo a entender as próprias emoções e a descobrir outras novas. Dedique-se ao trabalho, ao curso engavetado ou a começar um projeto qualquer…mas faça! O fato de você tornar seu dia melhor, trará benefícios inimagináveis à própria saúde.

“Maturidade é saber a hora de partir sem a necessidade de olhar para trás.”

Não espere que o amanhã lhe traga a cura. Desafie a tentação de cruzar os braços e esperar por algum milagre emocional do dia para a noite. Faça acontecer! Saia, divirta-se, exercite-se. Maturidade é saber a hora de partir sem a necessidade de olhar para trás.

Por: Pamela Camocardi

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!