Com os casais a optarem por terem filhos cada vez mais tarde, muitos são os que não conseguem engravidar por diversos motivos e acabam por resolver adoptar. Contudo, esta lista de espera continua em constante crescimento, dificultando a vida destes casais que, na sua maioria, mesmo após anos e anos de espera, acabam por não  conseguir realizar o seu sonho.

Assim sendo, muitos são os que estão a começar a procurar alternativas fora do seu país, principalmente em África, onde a qualidade de vida é baixíssima.

Jessica e Adam Davis são um desses casais que, mesmo já tendo quatro filhos biológicos, decidiram ajudar a dar uma vida de qualidade a uma dessas imensas crianças, mais propriamente do Uganda, onde a sua maioria acabam vítimas de maus-tratos e de negligência por parte dos seus progenitores que não têm condições para os criar e educar.

Desta forma, em 2015, adoptaram uma menina ugandense de 5 anos chamada Namata, através da agência European Adoption Consultants (EAC) que os informou que andava a ser mal-tratada pela mãe desde que o seu pai havia falecido.

Com sinais claros de violência no corpo da menina, este casal não pensou duas vezes e aceitou de imediato adoptá-la, conscientes de que estariam a fazer uma boa acção e que iriam poder proporcionar-lhe uma boa educação. Contudo, 6 meses depois, o casal ficou completamente em choque ao descobrirem que na realidade haviam sido enganados!

Depois de meses a treinar o inglês, a pequena Namata conseguiu finalmente contar toda a verdade: a menina tinha uma família feliz e estava com bastantes saudades da mãe, que a acompanhava todos os dias à escola. Ou seja, a agência havia retirado a criança da sua família simplesmente para poderem lucrar com isso.

Contudo, a história não acaba por aqui.

Depois desta descoberta, e com a ajuda de Keren Riley, responsável por um grupo chamado Reunite Uganda, Namata pôde falar com a mãe através do Facetime onde acabou por se descobrir que, para poderem levar a menina, a agência fez a mãe desta acreditar que a pequena se encontrava a ser “patrocinada” pelo casal apenas por um ano ou dois, onde iria receberia uma boa educação antes de voltar para casa.

Claro que tudo isto acabou por resultar numa série de investigações realizadas pela CNN que vieram mais tarde a descobrir que este tipo de “adopções” já aconteciam há algum tempo e que muitas outras famílias já haviam sido enganadas pela EAC, resultando no encerramento definitivo da actividade desta!

Felizmente, tudo acabou por ficar bem depois do casal conseguir reverter o processo de adopção, e um ano depois, Namata pôde finalmente regressar a casa para junto da sua mãe e dos seus irmãos.

Toda esta história acabou por ser divulgada pela CNN numa reportagem incrível que poderás ver abaixo.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!