Quando começamos uma relação, achamos que será para a vida toda, por isso, é comum pensar num futuro juntos, onde iremos construir uma família, partilhar todos os momentos, sejam bons ou maus.

Para isso, um dos primeiros passos a tomar é ir viver junto. Mas essa não é uma decisão fácil! Há que pensar muito bem sobre se realmente a relação está preparada para um passo tão importante quanto este, ou não!

Desta forma, há certos pontos que devemos ter em consideração antes de decidirmos “juntar os trapinhos” com alguém, tais como:

1. Não te importas de ter pouca privacidade.

Se estão confortáveis o suficiente no relacionamento ao ponto de já se terem visto um ao outro numa situação mais vulnerável, então estão prontos para estar perto um do outro 24 horas por dia, sete dias por semana. Qualquer coisa que ainda seja privada ou secreta provavelmente virá à luz quando estiver a compartilhar um espaço, por isso precisas de estar preparada para isso.

2. Não se cansam um do outro

Se têm horários de trabalho opostos durante a maior parte do vosso relacionamento e, como resultado, só veem uma ou duas vezes por semana, provavelmente não é boa ideia irem morar juntos ainda. A possibilidade de maximizar a união parece tentadora para o casal sempre ocupado, mas é um risco enorme para o relacionamento. Por outro lado, se já passaram seis das sete noites da semana juntos, basicamente já passaram por um treinamento de coabitação.

3. Cada um de vocês tem a sua própria vidas fora do relacionamento

Muito apego é tanto uma receita para o desastre quanto o insuficiente. Se tiverem uma discussão enquanto estiverem a morar juntos, cada um de vocês vai querer outras pessoas disponíveis com quem possam passar tempo e relaxar. Se alguma coisa der errado no relacionamento, é inteligente ter alguém que fique contigo (e te dê um lugar para ficar, se necessário).

4. Estão confortáveis com as famílias e amigos um do outro

A menos que um de vocês esteja afastado da sua família, por esta altura já devem ter conhecido os parentes um do outro. O ideal é que também estejam familiarizado com os amigos um do outro. Não precisam necessariamente de se tornarem parte integrante do grupo, mas conviver com as pessoas que provavelmente passarão algum tempo na vossa casa é provavelmente uma boa ideia.

5. Estás familiarizada com as peculiaridades do teu parceiro

O teu parceiro ronca alto? Ele ou ela mastiga com a boca aberta? E tu não te importas com isso? Pode ser uma boa ideia fazer uma lista de comportamentos duvidosos em conjunto e encontrar algumas soluções para aqueles que realmente vos incomodam antes de viverem no mesmo espaço.

6. Lidas com discussões de maneira saudável

Se estão juntos há um ano ou dois, provavelmente já perderam as dificuldades nas vossas táticas de argumentação. Mas se os vossos argumentos são apocalípticos e deixam-vos a sentirem-se mal por alguns dias, NÃO é uma boa ideia começarem a viver juntos.

7. Têm planos semelhantes ou mútuos para o futuro

Se ambos estão envolvidos com uma visão estruturada do vosso futuro juntos, então estão mais do que prontos para compartilhar um espaço. Essa discussão pode ser difícil se ainda não tiver acontecido, mas isso fará com que se sintam muito mais confortáveis com a vossa decisão de morar juntos ou continuar a ir devagar.

8. Têm alguns interesses em comum

Se um de vocês prospera ao ar livre, enquanto o outro prefere dormir o dia todo e assistir à Netflix, pode ser frustrante tentar aproveitar a companhia um do outro. Basta estarem dispostos a concordar com alguns pontos em comum na casa.

9. Vocês são ying e yang

Em outras palavras, vocês compensam as diferenças um do outro. Embora muita diferença possa funcionar contra vocês, reconheçam a atração dos opostos. Aproveitem os pontos fortes um do outro!

Traduzido e adaptado pela equipa de Sábias Palavras

Fonte: Your Tango

VEJA TAMBÉM




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!