Depois de algumas sessões de quimioterapia, você começa a perceber que a vida merece ser vivida, que certas discussões não merecem nossa atenção, que os momentos mais marcantes são os mais simples em sua maioria.

Tive a sorte de ter doze sessões, ou o azar (risos), mas e os amigos que fiz no hospital? Ou até mesmo as pessoas que estavam com casos mais complexos de câncer e nem socializam com os demais? Talvez a vida dê mais uma chance para elas poderem aproveita-la, ou a vida dê um pouco de paz para a alma delas e as leve para o descanso eterno ou para algum paraíso, dando margem para as teorias religiosas. A grande questão é saber que a vida passa e passa muito rápido.

Nos tempos em que estive fazendo quimioterapia e radioterapia recebi uma visita de uma amiga que hoje já não se encontra mais neste mundo. A morte dela foi tão brutal que chorei de soluçar, pois morreu justamente por causa da doença que me perseguiu durante anos.

Esse é mais um dos exemplos de que merecemos viver mesmo, sair com os amigos, visitar lugares, sermos nós mesmos, pois quando menos esperamos certas surpresas negativas acontecem e ficamos pelo meio do caminho com aquele pensamento:

“E se eu tivesse feito isso… E se eu tivesse feito aquilo…”

Conselho do dia: Se for para chorar, chore, se for para dizer “não”, diga, se for para falar besteira ou viver um amor, aproveite a ocasião. O que você não pode fazer é deixar a vida passar e ir desistindo de vive-la. Digo isso porquê já tive esse sentimento, hoje penso diferente. Quando meus cabelos começaram a cair percebi que perdi tanto coisa, tive medo de morrer. Quando terminei as sessões fiquei tão feliz que viajei, conheci lugares inesquecíveis e conheci uma pessoa. Hoje sou feliz, tenho o emprego maravilhoso e sou amado por uma pessoa.

Não desista dos seus sonhos, por mais que eles estejam distantes por causa de uma doença que na minha opinião é o mal do século. Vivam!!!

Por: Alan Santos

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS