O argentino Juan Moreira, de 89 anos, possui uma empresa familiar relacionada com a indústria de pneus da região de Córdoba.

O empresário representa o negócio desde os 20 anos e idade e decidiu deixá-la para Deolinda Alfonso, uma funcionária que trabalha com sua família há quatro décadas, e além disso, a considera a pessoa mais adequada para conduzir a empresa.

De acordo com publicado no ADNSUR, essa decisão foi tomada por Juan com sua esposa Elena quando ela ainda estava viva, já que Deolinda começou a trabalhar com eles quando tinha apenas 12 anos.

Apesar da idade, Deolinda tinha que trabalhar para ajudar os irmãos nas despesas de casa. Tendo começado muito jovem, ela sempre foi parte integrante da família Moreira, tanto que Juan e sua esposa a tratavam como uma filha.

Depois de ficar viúvo e sem filhos, o homem reafirmou sua decisão:“Minha saúde não me permite mais estar à frente da firma, mas tudo continua igual, a atenção continua como antes e está melhorando”, disse o empresário.

Hoje Deolinda tem 50 anos e Juan, já idoso e cansado, decidiu deixar para ela a empresa da família que administra há anos. Deolinda é sua funcionária há 40 anos, quem melhor do que ela para assumir este lugar?

Em uma entrevista, Deolinda contou que “ela vem de uma família humilde de sete irmãos, a quem ela teve que ajudar a progredir”. Então, ela pediu ajuda para encontrar um trabalho que ela pudesse fazer na idade dela, e sua madrinha recomendou o casal.

“Quando me perguntaram o que eu sabia fazer, eu disse ‘tudo’, mas não sabia quase nada, então tudo o que sei e quem sou devo a eles. Para nós que viemos de muito baixo isso é muito emocionante”, disse.

Para ela, esse gesto permitirá que ela navegue pelo futuro de seus filhos e netos. “Pense que morávamos em uma casa que era um quarto; com minha irmã dormimos um para os pés e outro para a cabeça; Fomos para a escola uma de manhã e outra à tarde. Imagine como é isso”, disse a mulher, que hoje tem 50 anos e três netos.

Reprodução / ADNSUR

Juan informou-a da decisão que tomara anos atrás com a esposa: ela ficaria no comando da Moreira Gomas, o negócio ao qual Deolinda dedicou toda a sua vida. “Comecei a chorar, não acreditei. Ele ainda me orienta. Espero que haja muitos Juan, pessoas que reconhecem quem trabalha”, afirmou, emocionada.

Imagem de Capa: Reprodução / ADNSUR

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!