Diversos estabelecimentos que atendem as mais diversas faixas etárias vem aderindo à milenar “criançafobia” e já não os toleram.

Mas atenção: nem tudo é culpa de “maus pais” que não educam seus filhos, são fases da vida.

A infância é um período da vida em que, embora muitos de nós a esqueçamos, todos passamos, e a maioria de nós nem sempre esteve bem comportado, e por isso, devemos ter em mente que para aprender é preciso errar, por isso seria falso dizer que nunca fizemos um escândalo em público.

Atualmente, e porque é uma tarefa praticamente impossível passear com o nosso bebê sem chorar ou acontecer algo que o estresse, alguns hotéis e restaurantes estão a disponibilizar a opção “child-free” para todos, com o intuito de que ninguém perturbe a sua estadia.

Hoje é possível ter uma suíte ou que você não ouça gritos irritantes e choramingos na hora das refeições.

Agora, não vou dizer que gosto de birras e choros, mas desde quando nos tornamos tão intolerantes?

Certamente há formas de controlar a situação, há mães que, ao primeiro grito, saem para acalmar o pequeno e regressam às instalações de um restaurante, por exemplo, mas ao primeiro levantar de voz de uma criança, milhares de olhares desagradáveis caem sobre algo que é natural e que todos nós passamos em algum momento.

Nem sempre quando uma criança chora é culpa de uma mãe ruim, não é que a mãe falhou porque não conseguiu controlar, às vezes há situações que fogem de nossas mãos e desde o início poderíamos ter um pouco mais de paciência.

Como dissemos no início, os erros são aprendidos e, se não errarmos em público, não saberemos o que está errado e o que está certo.

Agora já existem vários lugares que oferecem atendimento para quem tem “paciência zero”, mas lembre-se sempre que você passou por lá e provavelmente vai passar por lá novamente como pai, se pagar não precisa aturar alguém que te incomoda, mas não é necessário olhar desagradavelmente no primeiro.

Por UPSOCL

Imagem de Capa: Scopio





Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!