Um homem está sentado no sofá, assistindo TV. Sua parceira, uma mulher, prepara o jantar enquanto repassa mentalmente sua lista de tarefas. Isso inclui guardar as camisetas e cuecas de seu parceiro na gaveta e marcar uma consulta com o médico do seu filho “mais novo”.

Ele aparece e pergunta a ela “o que tem para o jantar?”, depois volta para a TV.

Mais tarde naquela noite, ele fica surpreso por ela não estar interessada em algo além com ele.

As pessoas neste cenário são uma mulher e um homem. Mas pode ser uma mulher e seu filho. A dinâmica é muito semelhante – uma pessoa prestando cuidados domésticos e emocionais e a outra recebendo esses cuidados, mostrando pouco reconhecimento, gratidão ou reciprocidade.

Você está lendo sobre um homem que “depende” de sua parceira para tarefas cotidianas das quais ele é realmente capaz.

Talvez você tenha vivido – ou vive – isso.

Esse é um fenômeno chamado de “filho varão” (ou percepção de um parceiro como dependente) descreve a indefinição de papéis entre um parceiro e um filho.

Você pode ouvir mulheres descrevendo seus parceiros masculinos ou um de seus filhos como “dependentes”.

Quando um parceiro começa a agir como um filho dependente, não é de surpreender que isso afete o desejo sexual de uma mulher por ele.

Para isso, um estudo tentou avaliar o impacto do fenômeno do “filho varão” no desejo sexual das mulheres.

Dois estudos foram feitos com mais de 1.000 mulheres de todo o mundo, em relacionamentos com homens. Todos os participantes tinham filhos menores de 12 anos.

Foi pedido às mulheres que avaliassem sua concordância com declarações como: “Às vezes sinto que meu parceiro é como uma criança extra de quem preciso cuidar”. Também foi questionado sobre a divisão do trabalho doméstico em seu relacionamento e seu nível de desejo sexual pelo parceiro.

O resultado mostrou que quando as mulheres realizavam mais trabalhos domésticos do que seus parceiros, elas eram mais propensas a percebê-los como dependentes e isso foi associado a menor desejo sexual por esse parceiro.

Quando considerados em conjunto, pode-se dizer que os parceiros das mulheres estão assumindo um papel nada sexy – o de uma criança.

Isso pode nos ajudar a aprender o que acontece quando o trabalho doméstico é valorizado. Ou o que acontece quando ambos os parceiros se apoiam e podem contar um com o outro para as necessidades diárias e da vida.

As mulheres podem ser menos propensas a sentir seus parceiros como dependentes e sentir mais desejo sexual por eles.

Em outras palavras, quanto mais próximos estivermos da equidade em cuidar ativamente um do outro, mais desejo sexual sentiremos por nosso parceiro.

Imagem de Capa: Adobe Stock





Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!