É uma coisa tão aterrorizante, não é? “O Tal”. Tão final. Tão intimidante. Então eu já ouvi essa palavra tantas vezes, deve ser séria. É o tudo e acaba com tudo. É a tua vida que está levar-te para este momento.

Ele é apenas uma pessoa. Apenas um homem. Um muito importante para ti, provavelmente. A pessoa que amas mais do que qualquer outra pessoa, provavelmente. Mas ainda assim, apenas um homem, apenas uma pessoa. Não é a cura para as tuas inseguranças ou a fonte de toda a tua felicidade. Apenas uma pessoa que amas muito, provavelmente.

Mas às vezes não parece assim. Às vezes parece que ele deveria ser muito mais que isso. Como se não o tivesses, se não o encontraste, então ainda tens um longo caminho pela frente. A tua vida não significa nada ainda. Ainda falta um grande pedaço. Tipo, sim, deves trabalhar duro e aprender a seres feliz e deves encontrar uma carreira ou descobrir o chamamento da tua vida, mas mesmo depois de teres feito tudo isso, é melhor teres uma razão para dares às pessoas quando te perguntarem por que é que ainda ninguém te pegou.

“Como se ele supostamente fosse o teu salva-vidas e o teu único propósito de viver e a tua única fonte de luz e aquele onde o qual procuras respostas, é o teu guia e o teu conserto.”

Como se estivesses simplesmente sentada, a fazer todas essas coisas que são porreiras, empolgantes e importantes para ti, mas estás apenas a fazer isso para passar o tempo até que ele volte para dar sentido à tua vida. Como se ele supostamente fosse o teu salva-vidas e o teu único propósito de viver e a tua única fonte de luz e aquele onde o qual procuras respostas, é o teu guia e o teu conserto.

Não tem que ser assim. Não precisas dele para encontrares significado, satisfação e alegria na tua vida. A tua existência não se torna validada quando ele te encontra.

Mas isso também não significa que ele não possa ser uma grande e importante peça de quebra-cabeça na tua vida e na tua felicidade.

Às vezes parece que temos duas opções:

  • Encontrar um homem e ser feliz, mas desistir de todo o senso de independência e propósito e realização e poder. Encontrar tudo nele.
  • Ou, odiar os homens, porque eles são maus e tiram a nossa independência. Nós somos auto-suficientes e não precisamos de um homem. Mas se encontrarmos um, se encontrarmos um homem que nos faz feliz e o amamos profundamente, isso deve significar que não temos mais uma vida ou um propósito próprio.

Qualquer situação pode acontecer, mas nenhuma delas precisa ser verdadeira. Nenhum dos dois tem que ser o caso.

É possível ser verdadeiramente feliz sozinha, aprender a amar a ti mesma. Apreciar a tua própria empresa. Encontrar significado fora da tua vida amorosa. Mas isso não faz do amor algo mau. O amor não é uma desculpa. Apaixonares-te não significa que estejas a desistir de qualquer tipo de aparência de seres uma vadia malvada que administra a sua própria vida.

“Sim, eu encontrei “o tal”. Agora tudo na minha vida vai aprender a moldar-se em torno da sua própria existência.”

Talvez tenta apenas esquecer a ideia de um. Pode assustar-te. Isso assusta-me às vezes. Isso faz-me sentir que é algum tipo de botão que tenho que apertar. Sim, eu encontrei “o tal”. Agora tudo na minha vida vai aprender a moldar-se em torno da sua própria existência.

Às vezes sinto-me assim, mas apenas quando deixo as pressões e expectativas de tudo e de todos ao meu redor entrarem na minha cabeça. Mas então tento lembrar que as opiniões de outras pessoas não vão mover a minha vida em uma direção ou outra. A minha opinião é o que me move, a minha opinião é o que toma decisões, a minha opinião é o que leva a minha vida a um certo caminho. As opiniões de outras pessoas podem, algumas vezes, interferir, e é difícil ignorá-las algumas vezes, mas elas realmente não importam. Ninguém realmente se importa muito com o que estou a fazer ou quem estou a amar. Eu sei que a minha família e os meus amigos se importam se eu estou feliz, mas eles não se importam como. E eu sei que fora desse pequeno círculo, isso não importa.

As pessoas podem fazer julgamentos precipitados sobre ti, às vezes de forma não intencional, mas às vezes de propósito. De qualquer forma, isso acontece. É só a vida. Não é algo para ser amargo, ou algo para enfatizar. Não faz de alguém uma pessoa má. Faz parte da natureza humana às vezes. É só uma coisa. Desaparece num instante. As pessoas pensarão em ti e esquecerão, porque estão a pensar sobre a tua vida e sobre quem estás a  julgar. No final do dia, tu és a única que tem que viver a tua própria vida.

O que realmente importa é como te sentes. O que realmente importa é que sejas feliz na tua vida. Que estejas a fazer o que queres. Talvez não tenhas tudo, mas tudo bem. Desde que estejas a tentar. Desde que estejas a acordar todos os dias e a tentar tornares-te melhor pessoa do que a que foste ontem.

“Ele não precisa de se tornar na tua vida, mas o amor é importante e ele certamente pode dar-te amor.”

Há um lugar para ele em tudo isso. Se realmente o amas, se ele te faz sentir livre e alegre e amada e querida e cuidada, se ele está orgulhoso de ti e te encoraja e acredita que podes fazer o que quer que escolhas, ele pode muito bem ser um bom ajuste na tua vida. Ele não precisa de se tornar na tua vida, mas o amor é importante e ele certamente pode dar-te amor. Ele certamente pode trazer alegria, felicidade e encorajamento para ti, e tu és tão capaz de o devolver a ele.

Não precisa ser preto e branco. Não precisas de escolher entre ele e a tua independência. Podes escolher os dois. Tu decides. É a tua vida, é a tua felicidade. Não te preocupes se ele é ou não o escolhido. Não te preocupes se ele é ou não a tua alma gêmea ou se todo o mundo acha que esse é o movimento certo para ti. Não te preocupes em fazer esse movimento gigantesco e devastador. Apenas pensa nisso. Amam-se? Fazem felizes um ao outro? Sentes que poderias construir uma vida com ele?

Não há uma escolha que seja melhor que a outra, contanto que vivas com sinceridade, sigas o teu instinto e escolhas o que desejas. Não tenhas medo do amor, porque o amor é uma coisa incrível. Mas não tenhas medo de não o ter, porque podes encontrá-lo em outras pessoas além dele. Ouve o teu interior, ouve o teu instinto. O que quiseres é a escolha certa.

Traduzido e adaptado pela equipa de Sábias Palavras

Fonte: Thought Catalog

Autora: Kim Quindlen

COMPARTILHAR

VEJA TAMBÉM





COMENTÁRIOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!