Uma repórter foi assaltada ao vivo enquanto fazia uma reportagem para um canal de televisão argentina sobre a Copa do Mundo no Catar, com dinheiro e documentos roubados de dentro de sua bolsa.

Dominique Metzger estava transmitindo da área de Corniche, em Doha, antes da primeira partida do torneio mundial de futebol e ela contou que enquanto dançava com torcedores, itens de sua bolsa foram roubados

A reporter disse à sua rede de TV Todo Noticias (TN) que relatou o incidente à polícia local e ficou muito surpresa com a resposta que recebeu das autoridades.

Dominique revelou que prometeram identificar o suspeito – e disseram que ela poderia escolher a punição para o suposto assaltante.

“Eu tinha minha pequena bolsa comigo com todas as coisas que alguém precisa, minha carteira, as chaves do nosso quarto de hotel, alguns guardanapos”, disse ela a um âncora da rede TN.

“Eu estava dançando com a galera e tenho certeza que foi nesse momento que alguém abriu o zíper da bolsa e levou minha carteira”, respondeu ao repórter.

Embora o roubo não tenha sido capturado pela câmera, as imagens a mostraram dançando no meio de uma multidão com a bolsa pendurada ao lado do corpo.

“Eu não percebi naquele momento, você sabe que está no ar, com música e multidões ao seu redor, e eu estava focado em você falando comigo também. Então eu não estava prestando atenção.”

“Depois que terminei minha reportagem ao vivo, quis pegar minha carteira para comprar uma garrafa de água e percebi que não a tinha”, lembrou ela.

Em uma tentativa de reprimir o crime, o Catar reforçou a segurança instalando milhares de câmeras em torno de seus estádios recém-construídos, bem como 15.000 câmeras de alta resolução dentro de cada estádio, auxiliadas por tecnologia de reconhecimento facial.
Mas o que mais chocou Dominique foi que ela ouviu ao ser atendida por uma policial.

“O momento em que fui tomada foi chocante. Eles me disseram: “O que você quer que a justiça faça sobre isso? Vamos encontrar a carteira… Temos câmeras em todos os lugares, câmeras de alta tecnologia e vamos encontrar o ladrão com tecnologia de detecção de rosto. O que você quer que o sistema de justiça faça com eles quando forem encontrados?”.

Confusa com a pergunta, ela disse que perguntou aos policiais sobre o que eles estavam conversando. Eles responderam perguntando a ela: ‘”Você quer que o condenemos a cinco anos de prisão, para ser deportado?” Ele me pediu para tomar a decisão.

“Eu disse a eles que só queria minha carteira de volta, não tomaria a decisão pelo sistema de justiça”, disse ela ao TN.

Isso só mostra como o Catar, o país anfitrião da Copa do Mundo, tem seus costumes e cultura tão diferentes dos países ocidentais.

Veja a seguir a reportagem na rede de TV Todo Notícias:

Imagem de Capa: Reprodução

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!