Uma jovem, vítima fatal de um trágico acidente de trânsito, foi intimada pela Polícia Civil, em Curitiba, estado do Paraná, Brasil, a prestar depoimento como testemunha.

Manuela Queiroz Vicentini tinha 19 anos e estava grávida de 5 meses quando morreu em abril, há mais de dois meses.

A jovem sofreu o acidente dia 17 de abril, não resistiu aos ferimentos e infelizmente, ela e o bebê faleceram 4 dias depois.

Entretanto, em 20 de junho, para a surpresa de todos, a família da falecida recebeu uma intimação da polícia, no qual informava que Manuela deveria comparecer à delegacia para testemunhar no dia 4 de julho.

Reprodução/G1

De acordo com publicação no G1, o motorista que causou o acidente em que a jovem morreu denuncia a Polícia Militar, alegando que foi agredido pelos policiais e por isso não fez o teste do bafômetro.

Perturbados pela notificação, os familiares da vítima foram até a delegacia comunicar que Manuela não poderia ir até o local prestar testemunho, pois faleceu devido o acidente. Em seguida, a Polícia reconheceu o erro na intimação.

Segundo informações da polícia, o veículo em que Manuela, grávida de 5 meses, e seu marido estavam foi atingido pelo carro em Samuel Alisson Soares Barbosa dirigia sob efeito de álcool, manuseando o celular e transitando em via preferencial. O acidente causou a morte da jovem e do bebê.

Samuel foi preso em flagrante por lesão corporal qualificada e embriaguez ao volante. No entanto, ele foi solto pela Justiça dias depois e segue em liberdade, mediante o cumprimento de medidas cautelares.

Imagem de Capa: Reprodução/Facebook

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!