O uso de tinta permanente no cabelo é bastante frequente entre as mulheres. Contudo, um estudo publicado pelo National Institute of Environmental Health Sciences afirma que o uso destes químicos pode aumentar as chances de contrair câncer da mama.

Após analisarem cerca de 46 mil mulheres norte-americanas, com idades compreendidas entre os 35 e 74 anos, entre os anos 2003 a 2009, que inclusive já tinham e tiveram irmãs com câncer da mama, os pesquisadores puderam concluir que mulheres negras que usaram tinta permanente de forma frequente para pintar o seu cabelo aumentaram em 45% o risco de cancro da mama, em comparação às que afirmaram não usar químicos capilares. Quanto às mulheres brancas, o seu risco aumentou em 7%.

Esta alteração deve-se ao facto de que os produtos usados ​​predominantemente por mulheres negras podem conter mais compostos hormonalmente ativos, aumentando assim os riscos comparativamente às mulheres caucasianas.

Este risco é igualmente aumentado para as mulheres que usam alisadores químicos para manterem o cabelo liso.

Contudo, há que ter em atenção que todas estas mulheres já estavam naturalmente predispostas à patologia, uma vez que já tinham tido alguém na família que havia sofrido da doença. Ainda assim, os pesquisadores alertam que produtos químicos em produtos capilares podem desempenhar um papel na carcinogênese da mama.

O co-autor Dale Sandler, Ph.D., chefe do NIEHS Epidemiology Branch, foi questionado se as mulheres que liam sobre o estudo deveriam parar de pintar ou alisar os cabelos, ao que respondeu: “Estamos expostos a muitas coisas que podem contribuir potencialmente para o câncer de mama, e é improvável que qualquer fator explique o risco de uma mulher. Embora seja muito cedo para fazer uma recomendação firme, evitar esses produtos químicos pode ser mais uma coisa que as mulheres podem fazer para reduzir o risco de câncer de mama.”

Imagem de capa: Ali Pazani de Unsplash

VEJA TAMBÉM




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!