Somos capazes de sempre colocar o coração e a alma no trabalho, mesmo que queiramos? Infelizmente, acontece que não é bem assim. Aqui está o porquê:

Quer admita ou não, à medida que envelhecemos, perdemos muita energia e impulso para o trabalho.

O tempo pode nos tornar mais calmos e maduros, mas nossa concentração e determinação para nos esforçarmos e alcançarmos objetivos diferentes parece diminuir com o passar dos anos.

Isso é, claro, absolutamente normal, porque nem o corpo nem a mente estão tão frescos e cheios de energia como eram quando éramos mais jovens.

Pesquisas recentes publicadas na série Melbourne Institute Worker Paper também confirmam isso – afirmando que pessoas com mais de 40 anos não devem trabalhar uma semana inteira de trabalho de 5 dias.

De acordo com a pesquisa, os funcionários com 40 anos ou mais apresentam as maiores taxas de desempenho se trabalharem três dias por semana, e esse é o tempo recomendado para trabalhar.

Cientistas do Instituto de Pesquisa Econômica e Social Aplicada de Melbourne que conduziram o estudo examinaram os hábitos de trabalho e os resultados dos testes cerebrais de cerca de 3.000 homens e 3.500 mulheres na Austrália. Todos os participantes têm 40 anos ou mais.

O estudo pesquisou o bem-estar financeiro e moral das pessoas, o tipo de estrutura familiar e o trabalho que os participantes estão desempenhando.

Após uma análise detalhada, os pesquisadores descobriram que o trabalho de 30 horas semanais é benéfico para a função cognitiva em um estágio posterior, mas os trabalhadores que excedem as 30 horas semanais parecem apresentar um declínio em seu desempenho.

Descobriu-se que as pessoas que excedem as 55 horas de trabalho semanais manifestaram uma diminuição cognitiva mais significativa do que as que não estão a trabalhar tanto.

O Independent publicou a opinião de um dos três autores da pesquisa, o professor Colin McKenzie, da Keio University, compartilhou anteriormente com o Times:

“Muitos países vão aumentar suas idades de aposentadoria atrasando a idade em que as pessoas são elegíveis para começar a receber benefícios previdenciários. Isso significa que mais pessoas continuam a trabalhar nos estágios posteriores de suas vidas”

Ele disse e também acrescentou que o trabalho pode ser visto como uma faca de dois gumes:

“O grau de estimulação intelectual pode depender das horas de trabalho. O trabalho pode ser uma faca de dois gumes, pois pode estimular a atividade cerebral, mas, ao mesmo tempo, longas horas de trabalho podem causar fadiga e estresse, que potencialmente prejudicam as funções cognitivas. Ressaltamos que as diferenças nas jornadas de trabalho são importantes para a manutenção do funcionamento cognitivo em adultos de meia-idade e idosos. Isso significa que, na meia-idade e na velhice, trabalhar meio período pode ser eficaz na manutenção da capacidade cognitiva”.

O que ele está dizendo é que existe uma diferença entre manter o cérebro intelectualmente engajado e o fato de estar trabalhando demais, algo que pode levar a sérias consequências negativas. E, de acordo com a pesquisa, trabalhar demais para pessoas com mais de 40 anos significa trabalhar mais de três dias por semana.

O que vocês acham disso? Concordam que muitas horas não representa produzir mais?

Imagem de Capa: Freepik 

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!