Quem tem irmão gerado ao mesmo tempo no ventre da mãe pode confirmar: irmãos gêmeos tem um vínculo inacreditável.

Os gêmeos Chester e Otis Graves nasceram prematuramente com 28 semanas, em 15 de julho. Enquanto Otis pesava 1.560 g, seu irmão nasceu apenas 480 g.

Seis semanas depois do parto, Otis recebeu alta quando atingiu um peso saudável de 2.800 g. Infelizmente, seu irmãozinho estava com 1.300g e teve que continuar internado para ganhar peso, pois ainda era muito baixo para um recém-nascido.

Seus pais, Kelly Graves, 32, e o marido, Billy, 35, de Essex, Reino Unido, acreditam que o poderoso vínculo gêmeo daria a Chester a força que ele precisa para sobreviver.

De acordo com publicação no Daily Mail, Kelly afirma: “Não tenho dúvidas de que os abraços com seu gêmeo o ajudaram a continuar lutando.”

“Os gêmeos finalmente se encontraram pela primeira vez desde que nasceram em 22 de setembro, o que foi incrivelmente emocionante. Era tudo o que eu esperava e, embora Otis estivesse dormindo, Chester estava obcecado por ele e não conseguia tirar os olhos de seu irmão.”, disse a mãe dos meninos.

Os pais descobriram problemas de saúde em Chester durante seu exame de 16 semanas, quando os médicos lhe disseram que os bebês tinham 25% de diferença de tamanho.

A diferença no crescimento foi causada pela Restrição Seletiva do Crescimento Intrauterino – uma condição que resulta na interrupção do crescimento de um dos bebês, impedindo o recebindo de nutrientes necessários da placenta.

Kelly foi informada da condição e teve que se submeter a uma cirurgia endoscópica a laser pela qual eles entram no útero pela lateral do corpo para atingir a placenta e matar os vasos sanguíneos que conectam os dois bebês.

A cirurgia foi realizada para separar os bebês no útero, de modo que, se Chester não tivesse sobrevivido, teria protegido Otis de morrer ou ficar com danos cerebrais duradouros.

Após o procedimento cirúrgico, Otis estava crescendo cerca de 100g por semana, enquanto seu irmão ainda crescia apenas 25g pelo mesmo período de tempo.

Após cada exame, a família era informada de que Chester “pode não sobreviver”.

Na 28ª semana de gravidez, a condição de Chester se estabilizou. Foi quando a bolsa de Kelly rompeu e ela foi internada para ter os filhos. Ela conta:

“Neste momento, Chester estava com 485 gramas, o que estava perto de ser considerado viável, mas nos disseram que sua frequência cardíaca continuava caindo e que as chances de sobrevivência da cesariana seriam baixas. Nós só tínhamos que esperar que ele continuasse lutando.”

Enquanto Otis, mais forte, foi imediatamente colocado em uma incubadora após a cesariana de Kelly, Chester teve que ser estabilizado primeiro, pois sua condição se deteriorou durante o parto.

Kelly e Billy tinham que viajar todos os dias para acompanhar seus bebês. Enquanto isso, eles também tiveram que cuidar de seus outros filhos – Phoebe, de 10 anos, Florence, 8, e Albert, com 5 anos. Como Kelly diz, eles levaram cerca de três horas e meia para ver todos os seus filhos.

Quando Otis teve alta, foi muito bom, mas ao mesmo tempo por não poderem se sentir completos até que os dois bebês estivessem juntos novamente.

Agora os bebês estão com 6 meses, e Chester segue lutando em ventilação na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do hospital Addenbrookes. Chester tem sido um milagre desde o dia em que nasceu e lutou contra tudo que a vida lhe lançou.

“Eu rezo para que ele possa provar que todos estão errados mais uma vez .”, disse Kelly em uma publicação no Instagram.

Que os abraços do irmão possa trazer forças ao Chester! O vínculo inquebrável entre esses bebês gêmeos está inspirando pessoas em todo o mundo.

Imagem de Capa: Instagram

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!

47 COMENTÁRIOS

Comments are closed.