Logo na entrada de uma igreja em Santa Vitória do Palmar, no extremo Sul do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, o pároco decidiu colocar um cartaz com um alerta: “proibido entrar com vestes inadequadas”.

De acordo com publicação no G1 RBS TV, a ideia de colocar restrições dos tipos de roupas adequadas para frequentar a igreja veio do padre Cristiano Pereira, responsável pela paróquia, no qual acabou gerando muito desconforto na população de fiéis.

Segundo o cartaz, as mulheres são proibidas de usar roupas curtas, legging, shorts curto ou apertado e blusas de tecidos transparentes. Para os homens, não é permitido usar boné ou qualquer outro acessório que cubra a cabeça, shorts jeans ou esportivo e camiseta com estampa chamativa.

Na orientação diz que as mulheres podem usar vestido longo e sem decote, saia cobrindo os joelhos, blusa de manga longa que cubra os ombros, sem estampas chamativas ou decotes. Os homens podem usar camisa e sapato social e calça social ou jeans.

Reprodução / RBS TV

Algumas pessoas não concordam com a atitude do padre, dizendo que são medidas exageradas. Uma mulher conta que teve trocar o vestido que estava usando por uma calça, para poder acompanhar a missa de um ano de falecimento do próprio pai.

“Eu mandei rezar uma missa pro meu pai de um ano de falecimento e tive que colocar uma calça comprida porque ele não deixa usar vestido acima do joelho”, relata.

“Eu acho que tá muito errado porque acontece que tá correndo com todos os fiéis da igreja”, conta outra mulher.

O cartaz com as orientações do padre sobre as vestimentas ficou à porta da igreja por menos de um mês. A Diocese de Rio Grande, responsável pela paróquia, pediu para que fosse retirado do local.

Segundo a RBS TV, o padre Cristiano quis adotar a prática de orientações sobre vestimentas que são comuns em igrejas da Europa, mas que no Brasil, acabou sendo muito criticada.

O que vocês acham da atitude do padre? E da reação da população?

Imagem de Capa: Reprodução / RBS TV

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!