A procissão do caixão da rainha passou por seus amados corgis durante seu sepultamento.

Se trata de dois cães da raça corgi, Muick e Sandy, no qual presenciaram o cortejo no dia do funeral de Estado e enterro da rainha Elizabeth, no Castelo de Windsor.

Reprodução

Os cães reais foram presentes para Sua Majestade de seu filho, o duque de York, que agora cuidará deles após a morte da monarca.

A rainha possuía mais de 30 corgis e dorgis durante seu reinado e era conhecida por seu amor pela raça.

No início de 2021, ela recebeu dois novos filhotes, um dorgi e um corgi, como presente de seu segundo filho, o príncipe Andrew, enquanto estava em Windsor durante a pandemia.

Os filhotes mantiveram a monarca entretida enquanto o duque de Edimburgo estava hospitalizado.

A rainha nomeou o dorgi Fergus em homenagem a seu tio que foi morto em ação durante a Primeira Guerra Mundial, e o corgi Muick, pronunciado Mick, em homenagem ao Loch Muick na propriedade de Balmoral.

Entretanto, a rainha ficou arrasada quando Fergus, de cinco meses, morreu poucas semanas depois, logo após a morte de Philip.

Mais tarde, ela recebeu um novo filhote de corgi, de Andrew e das princesas Beatrice e Eugenie para seu aniversário oficial de 95 anos, que a rainha chamou de Sandy.

Os filhotes foram uma fonte constante de alegria para a rainha durante todo o lockdown.

Reprodução
Reprodução

O amor da rainha pelos cães corgi foi celebrado durante os eventos do Jubileu de Platina, com uma reunião de 70 corgis em Balmoral e um “corgi derby” no hipódromo de Musselburgh.

A rainha cuidava de seus próprios cães o máximo possível e durante os fins de semana passados em Windsor, como também iam e moravam em seus apartamentos particulares.

A maioria dos corgis da rainha descendem de seu primeiro corgi, Susan, que foi presenteada a ela em seu aniversário de 18 anos em 1944.

Imagem de Capa: Reprodução

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!