Em 1992, nos Estados Unidos, um casal anônimo doou os embriões, ano em que George Bush era ainda presidente do país.

Com esses embriões, uma mulher deu à luz a gêmeos. Lydia e Timothy Ridgeway. Os bebês nasceram no dia 31 de outubro.

De acordo com o Centro Nacional de Doação de Embriões, esses eram os que estavam a mais tempo congelados a resultar em um nascimento.

NATIONAL EMBRYO DONATION CENTER

A doação foi feita no dia 22 de abril de 1992, há 30 anos, quebrando o recorde anterior. O casal de doadores usaram a fertilização in vitro e depois doaram os embriões, que foram preservados a 200 graus abaixo de zero.

Foi assim que Philip e Rachel Ridgeway de Portland, Oregon, tiveram mais filhos. O casal já tinha quatro filhos, mas decidiram ter mais usando os embriões doados.

NATIONAL EMBRYO DONATION CENTER

Ridgeway disse à CNN: “Não estávamos procurando obter os embriões que estão congelados há mais tempo no mundo. Só queríamos os que estavam esperando há mais tempo.”

“Há algo de incompreensível nisso. De certa forma, eles são nossos filhos mais velhos, embora sejam nossos filhos menores.”

A Sra. Ridgeway disse: “Eles eram bebês de bom tamanho. É realmente a graça de Deus porque ele apenas nos sustentou a cada passo do caminho”.

NATIONAL EMBRYO DONATION CENTER

Os Ridgeway quebraram o recorde antigo de Molly Gibson. Molly nasceu em 2020, no Tennessee, de um embrião congelado de 26 anos.

Imagem de Capa: National Embryo Donation Center

 

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!