Faz parte da condição humana se esforçar para ser mais feliz. Quando vemos pessoas felizes ao nosso redor, queremos sentir o que elas sentem e experimentar uma alegria semelhante.

 

No fundo, esse desejo inato de felicidade nos alimenta e serve como fator motivador em nossas vidas. Mas para alguns, pode ser um desafio encontrar hábitos de felicidade para descobrir esse tipo de alegria e paz interior.

Felizmente, um indivíduo bem instruído tem algumas pepitas de sabedoria no campo. Matthieu Ricard é um monge budista que reside no Mosteiro Shechen Tennyi Dargyeling do Nepal. Ele também é tradutor, fotógrafo e autor, e tem um Ph.D. em genética molecular.

O filantropo francês é conhecido como o homem mais feliz do mundo – embora ele não goste muito do apelido.

Em um evento TED em 2004, Ricard subiu ao palco para discutir o conceito de felicidade e bem-estar. A alegria é um assunto no qual ele é considerado um especialista.

Durante sua palestra, ele revelou alguns insights fascinantes sobre a mente humana e nos treina para a felicidade. E você não precisa apenas acreditar na palavra dele; ele também participou de pesquisas públicas sobre o assunto.

Este artigo explica como um monge budista revela hábitos para a felicidade nunca ignorar.

  1. Pare de olhar para fora em busca da felicidade

Muitas pessoas olham para fora quando procuram a felicidade. Existe um processo subconsciente em que você acredita que finalmente será feliz se tiver certas coisas e cumprir requisitos externos específicos. Por exemplo, você pode pensar:

Quando tiver minha própria casa, finalmente serei feliz.

Vou me sentir muito melhor depois de fazer alguns novos amigos.

Não há nada errado em querer coisas melhores na vida. E certamente não é exagero saber que viver em uma situação problemática pode prejudicar a saúde mental de uma maneira que afeta a felicidade.

Condições de pobreza, lares abusivos e outros ambientes adversos semelhantes não são o que estamos falando quando procuramos prazer fora.

Os perigos de confiar em influências externas em vez de hábitos internos para a felicidade

Em vez disso, o conceito de olhar para fora significa apostar toda a sua felicidade em fatores externos. Segundo Ricard, isso por si só já pode significar a destruição da felicidade. Este resultado é porque:

O mundo exterior é imprevisível e muitas vezes temporário. A única coisa que não pode e não vai mudar é que o mundo vai mudar. Se você depender sua felicidade de algo tão inconstante, poderá perder rapidamente essa felicidade.

Fatores externos em uma lista de verificação para a felicidade automaticamente criam insatisfação. O segundo dos fatores desejados não existe. Você fica infeliz. Você se concentrará cada vez mais em coisas negativas, mesmo quando houver tanta positividade ao seu redor.

Fatores externos não garantem a felicidade. Você provavelmente já viu vários indivíduos ricos discutindo suas lutas com a saúde mental e a depressão, por exemplo. Acumular realizações e objetos externos não é um bom hábito para a felicidade.

É por isso que muitos hábitos para a felicidade exigem trabalho interno. Ajudaria se você construísse uma base forte dentro de si voltada para a positividade. Quando o âmago do seu ser estiver alegre, você encontrará essa alegria, não importa o que esteja acontecendo externamente!

  1. Fortaleça a consciência de suas emoções

Qualquer mudança desejada deve nascer da percepção ou da consciência. Simplificando, você não pode mudar as coisas das quais não está totalmente ciente. Se você está negando essas verdades, você as afasta e nunca as aborda. É por isso que muitos hábitos para a felicidade dependem do treinamento da consciência e da inteligência emocional.

Ricard descreve a consciência como um espelho não modificado e imaculado, permitindo que imagens reais surjam neles. Isso significa que o espelho apenas mostra o que é visto sem alterar emoções negativas como ciúme, ódio e egoísmo. Ele simplesmente reflete o que é apresentado a ele em sua forma mais precisa.

Como tal, a consciência de suas emoções é uma maneira de ver seus sentimentos de forma validadora, mas desapegada. Seus sentidos vêm e vão, e sua consciência permite que você os veja como testemunhas e espectadores. Você vê o que eles são e os entende em suas formas mais simples, sem as dores do preconceito e da negatividade.

Um grande exemplo disso é a raiva. Quando você está em um momento de raiva, pode parecer uma tempestade poderosa e avassaladora.

Mas quando você se permite dar um passo para trás e ver uma situação com objetividade e mente aberta, de repente parece muito mais administrável. Você ainda pode estar chateado, mas consegue navegar de uma maneira muito mais produtiva e útil.

Você pode desenvolver uma consciência mais vital de suas emoções usando alguns desses hábitos para a felicidade:

  • Nomear e Identificar Emoções

Rotular emoções nos permite trazer esse espelho metafórico na frente delas. Isso lhe dá a chance de parar de reagir cegamente a cada sentimento. Você pode até se desculpar e reservar alguns momentos para identificar corretamente suas emoções e escolher suas respostas a elas de maneira sábia, calma e lógica.

  • Expresse como você se sente

Depois de saber rotular suas emoções e identificá-las, você também pode expressá-las de forma saudável. Estudos indicam que aqueles que conseguem articular efetivamente pensamentos e sentimentos têm maior autoeficácia e inteligência emocional. Isso permite uma melhor comunicação e relações sociais.

  • Desafie seus pensamentos ao construir melhores hábitos para a felicidade

Embora você deva, sem dúvida, validar seus sentimentos, você também deve examiná-los, as raízes por trás deles e os pensamentos nascidos deles. Faça a si mesmo perguntas sobre seus sentimentos para determinar de onde eles vêm.

Faça mais perguntas para avaliar suas respostas subsequentes a elas. Algumas perguntas a serem feitas são “Como eu me sentiria no lugar deles?”, “O que desencadeou essa resposta emocional?” e “Como posso lidar melhor com esse sentimento no futuro?”.

  1. Concentre-se na construção de hábitos de felicidade e positividade

Parece um pouco imprudente sugerir que a melhor maneira de ser mais feliz é se concentrar na felicidade. Para ser justo com Ricard, porém, isso é um pouco mais profundo do que geralmente apenas pensar em ser feliz.

Ricard, juntamente com os coautores Antoine Lutz, Nancy B. Rawlings, Lawrence L. Greischar e Richard J. Davidson, publicou um estudo sobre os efeitos de focar na felicidade.

O estudo é intitulado “Meditadores de longo prazo autoinduzem sincronia gama de alta amplitude durante a prática mental”. Especificamente, Ricard e seus colegas pesquisadores descobriram algo extraordinário sobre a plasticidade do cérebro.

Supostamente, é possível treinar seu cérebro para mudar aspectos de sua estrutura. Por exemplo, aqueles que praticam um instrumento várias horas por dia podem experimentar mudanças em partes relevantes de seu cérebro. Essas mudanças permitem que eles superem a trajetória típica de um instrumentista casual, com habilidades e respostas especiais dedicadas à sua prática.

O que isso significa, então, para hábitos de felicidade? Acontece que, quando você coloca sua mente em um estado que se concentra na positividade, você fica progressivamente melhor em encontrar e experimentar essas coisas boas.

Sua capacidade de afeto positivo aumenta e você começa a buscar o bem no mundo naturalmente. Seu ponto de vista e a maneira como você pensa sobre o mundo mudam completamente.

É claro que a maioria dos indivíduos típicos não pode fazer o que os monges budistas fazem – ou seja, meditar de três a doze horas por dia. Existem alguns hábitos para a felicidade que você pode fazer para treinar seu cérebro para a positividade lentamente. Esses métodos podem levar tempo para mostrar seus efeitos completos, mas certamente valem a pena.

  • Desenvolver um estilo explicativo positivo

Um estilo explicativo é um método através do qual você narra e explica os eventos de sua vida. Por exemplo, se o seu estilo é pessimista, você pode dizer que os bons dias da sua vida resultam do acaso e as coisas ruins resultam da sua inadequação.

Você pode dizer: “Tenho sorte que as pessoas gostaram do trabalho que fiz”, em vez de “Estou orgulhoso de mim mesmo por fazer esse trabalho tão bem!”. Isso faz toda a diferença! Pesquisas mostram que um estilo explicativo melhor e mais otimista é central em pessoas felizes.

  • Incorpore a visualização em seus hábitos diários para a felicidade

A técnica de visualização é um dos hábitos mais eficazes para a felicidade. Requer imaginar o resultado desejado em seu cérebro, treinando assim sua mente para aceitar esse resultado e manifestá-lo com motivação interna.

Estudos mostraram que a visualização aumenta o otimismo, a resiliência emocional e até as chances de sucesso. Quanto mais vividamente você visualizar essa positividade, mais poderosa será a prática. Se você já tem uma prática meditativa, incorpore a visualização nessa rotina.

  • Seja mais grato

Em um mundo tão caótico como o nosso, é fácil ser pego pela negatividade. Concentrar-se ativamente nos lados positivos e ser grato por eles, mesmo em tempos difíceis, é uma maneira poderosa de treinar seu cérebro.

Pense nas lições que você aprendeu, nas coisas nas quais você pode recorrer e nas pequenas coisas que você ainda gosta em tempos difíceis. Pesquisas indicam que desenvolver e treinar a gratidão pelo seu cérebro é um presente que continua dando para o bem-estar físico e mental.

  • Substitua seu crítico interno ao estabelecer hábitos para a felicidade

Muitas pessoas têm uma crítica interna muito forte, e um dos hábitos para a felicidade é aprender a substituir isso por algo mais positivo. Estudos mostram que a conversa interna, quando feita de forma positiva, é um ótimo mecanismo regulador.

Retreine sua voz e pegue o crítico interno quando ele começar a surgir. Fale sobre isso com algo que seja realista, mas gentil consigo mesmo. A forma como você fala consigo mesmo muda muito a forma como você percebe o mundo!

Por Power of Positivity

Traduzido e Adaptado por Equipe Sábias Palavras

Imagem de Capa: Reprodução/Facebook

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!