A mundo da modelagem não é necessariamente sobre o modelo em si, mas a imagem do modelo sendo a tela para a arte que é moda. Mas por que essa arte pode ser criada apenas para um perfil quando o mundo está cheio de tudo?

Certas pessoas na sociedade moderna tentaram unificar as diferenças para representar o mundo como ele é – maravilhosamente diverso. Acabar com os padrões da beleza, acabar com suas definições, categorizações, tamanhos e medidas.

Jessica Jacinto é uma modelo de 22 anos que vive em Valência, Venezuela. O que a ‘diferencia’ é o fato de ter nascido com síndrome de Down, uma condição em que a pessoa tem um cromossomo a mais. Essa cópia extra muda a maneira como o corpo e o cérebro da pessoa se desenvolvem, o que pode causar desafios mentais e físicos.


A modelo de 22 anos tinha o sonho de se tornar uma modelo internacional e nada a impediria. Com síndrome de Down, está quebrando os padrões de beleza e abrindo caminho para outras.

Mas isso não impediria Jessica de realizar seu sonho de se tornar uma modelo profissional.

Seu sonho se manifestou quando Jessica tinha 14 anos e foi convidada a participar de um concurso de beleza, encontrando sua verdadeira paixão.

Então sua mãe, Yanira, conta que ao ver sua filha desfilar na passarela, percebeu que “este era o mundo dela”.

“Me sinto empoderada”, disse Jessica, modelando se tornando uma fonte de confiança.

Até hoje, ela participou de diversos castings, sendo convidada por empresários e designers locais para modelar. Todos a descreveram positivamente, notando seu grande carisma e força.

A representação é fundamental para o bem-estar das pessoas, sua autoestima e saber que elas também podem ser a tela de uma obra de arte; que eles são a arte moldando a moda ao seu redor.

Imagem de Capa: Instagram

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!