A farmacêutica norte-americana Eli Lilly divulgou informações animadoras sobre a fases finais de testes clínicos para um novo tratamento para obesidade.

O medicamento ‘Tirzepatida’ apresentou resultados muito semelhantes com os de uma cirurgia bariátrica em termos de perda de peso, mostrando reduzir até 22,5% do peso corporal, nos estudos.

Ainda é necessário aguardar novas avaliações e estudos adicionais, porém, endocrinologistas já acreditam que será uma mudança significativa para os casos de pacientes com obesidade, síndrome metabólica e mais.

O último estudo clínico com a Tirzepatida consistiu no uso de diferentes quantidades da substância por alguns dos mais de 2,5 mil voluntários, enquanto outra parte dos voluntários recebeu um placebo.

O tratamento durou 72 semanas, e nos resultados, os pacientes perderam 16% do peso corporal com 5 mg semanais da substância, 21,4% com 10 mg semanais e 22,5% com 15 mg semanais. Já os participantes com o placebo, o emagrecimento foi de 2,4%.

De acordo com Jeff Emmick, vice-presidente do desenvolvimento de produtos da farmacêutica, o medicamento é o primeiro a demonstrar a perda de mais de 20% do peso corporal em um estudo de fase três.

Isto faz com que sua ação ofereça resultados tão efetivo quanto os gerados pela cirurgia bariátrica, mas sem as possíveis complicações associadas a procedimentos invasivos como este.

Sobre os efeitos colaterais da Tirzepatida, sua intensidade foi classificada entre fraca e moderada e, conforme indica, eles são bastante parecidos com os gerados por outros medicamentos de ação semelhante.

“Os efeitos colaterais mais frequentes são gastrointestinais. Náusea, vômito, diarréia, intestino preso… Em alguns casos, pode haver um aumento do risco da formação de cálculos na vesícula biliar”, afirma a endocrinologista.

Com base nos dados já divulgados, a médica explica ainda que a nova medicação pode ser interessante para além da obesidade.

A farmacêutica continuará a avaliar os resultados dos estudos, que serão apresentados em uma próxima reunião médica e submetidos a um periódico científico revisado por pares. Estudos adicionais estão em andamento para ser um possível tratamento para obesidade ou sobrepeso.

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!