Quando eram ainda crianças, Cotinha e o seu irmão mais novo foram atropelados por um camião. Infelizmente, o menino não sobreviveu ao acidente, mas a menina sim, apesar de ter ficado gravemente ferida.

Ao se aperceberem que a menina estava sozinha, o hospital decidiu anunciar que haviam encontrado uma menina, mas nunca apareceu alguém para buscar Cotinha, tendo esta acabado por permanecer internada durante 60 anos. Sim, percebeste bem. Cotinha viveu grande parte da sua vida num hospital, não tendo havido uma única pessoa conhecida que a fosse buscar ou procurar.

Durante esses anos, Cotinha foi acabando por fazer amizades no hospital, principalmente com Gláucia, uma jovem de 27 anos que trabalhava como copeira no hospital. Aliás, a sua relação era tão especial que quando o hospital fechou, obrigando a idosa a ir para um lar, Gláucia não conseguiu deixar a amiga num local estranho completamente sozinha, acabando por a levar para sua casa, mesmo passando por dificuldades financeiras.

Eu cheguei a ir num asilo. Os idosos quietinhos num cantinho, sabe? Eu falei: ‘Eu não vou abandonar ela!’ Eu falei assim: ‘Se é pra passar fome, a gente vai passar juntas!’, disse Gláucia.

Juntamente com a sua filha mais nova, Emily, com quem Cotinha passou a dividir o quarto, Gláucia recebeu de braços abertos a idosa na sua família, acabando mesmo por adoptá-la em 2017.

“Ela viu as coisas tudo dela no quarto que ela dormia da Emily. Você tinha que ver ela me abraçando. Aí ela falou: ‘Eu não vou embora mais!’”, disse Gláucia emocionada.

Sem dúvida uma história emocionante que poderás conhecer melhor ao ver o vídeo abaixo:

VEJA TAMBÉM




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!