No passado dia 14 de Março de 2019, Moçambique foi atingido por um dos maiores e mais devastadores ciclones das últimas décadas, tendo provocado mais de 500 mortes, cerca de 1600 feridos e milhares de desalojados. De categoria 4 (numa escala de 1 a 5, sendo 5 a mais forte), o ciclone Idais deixou um rasto de destruição por onde passou, destruindo totalmente 85.265 casas e parcialmente 97.276.

Felizmente, a acção humanitária que se desenvolveu logo após o desastre permitiu que 32.290 famílias desalojadas já tenham abrigo e bens não alimentares, e cerca de outras 140 mil pessoas tenham sido acolhidas nos 155 centros de acolhimento criados, além dos imensos bens alimentares que foram distribuídos. Tudo isso graças ao trabalho fantástico de organizações solidárias e, claro, de pessoas que não quiseram deixar de ajudar, como o caso da moçambicana Plaxedes Dilon, uma idosa de 71 anos, mais conhecida na sua comunidade como Gogo Magombo, que, não tendo dinheiro para pagar transporte, caminhou cerca de 16 km com um enorme saco na sua cabeça para doar roupa e utensílios de cozinha às vitimas do ciclone.

Crédito: Reprodução Facebook / Highlands Presbyterian Church – Harare

Mesmo com a sua avançada idade, Gogo levanta-se todos os dias às 4 da manhã para percorrer longas distâncias a vender roupa, ganhando assim dinheiro para as suas despesas. Contudo, ao chegar a casa após um longo dia de trabalho, a mulher ouviu a notícia do desastre na rádio e tratou logo de arrumar algumas coisas para levar para as vítimas, que acabaram por ser entregues na Igreja Presbiteriana de Highlands, em Harare.

“Eu imediatamente arrumei as roupas e jaquetas que comprei para revender e levei minha bolsa para a Star FM na manhã seguinte”, disse Gogo ao ZimLive.

Quem não ficou indiferente ao seu gesto extremamente generoso foi o bilionário das telecomunicações, Strive Masiyiwa, que ao ver a publicação que a Igreja fez na sua página do Facebook sobre Gogo, decidiu recompensá-la com uma casa onde ela quiser e uma pensão vitalícia de 1000 dólares mensais.

“Esta é a bíblica ‘viúva'”, escreveu Masiyiwa no Facebook, recordando a história bíblica d’O Tostão da Viúva, no Novo Testamento, onde uma mulher que tinha apenas duas moedas, sem pensar duas vezes, ofertou as duas ao templo, mesmo sabendo que iria ficar sem nada. “O que ela fez foi um dos mais notáveis atos de compaixão que eu já vi. Quando tudo isto acabar, vou encontrá-la e convidá-la para me vir ver, se possível. Então eu vou passar tempo em oração com ela. E de seguida vou construir uma casa para ela, onde ela quiser no Zimbábue. Terá energia solar e água corrente. E lhe darei uma pensão mensal de US $ 1.000 para o resto da sua vida.”

Conhecido como um empresário, empreendedor e filantropo do Zimbábue, Masiyiwa tem sido bastante activo na recuperação do país, mais precisamente em Chimanimani e Chipinge, os distritos mais atingidos pelo ciclone Idai, juntamente com a Igreja Presbiteriana de Highlands.

Crédito: Reprodução Facebook / Highlands Presbyterian Church – Harare
Crédito: Reprodução Facebook / Strive Masiyiwa

Se também tu quiseres contribuir para ajudar as vitimas do ciclone, estas são algumas organizações internacionais e entidades filantrópicas que estão a receber ajuda para as áreas afetadas:

VEJA TAMBÉM




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!