O líbio Mohamed Bzeek dedica sua vida em um conceito totalmente diferente de adoção.

Em dezembro de 2020, aos 62 anos, Mohamed foi diagnosticado com câncer de cólon, fazendo com ele refletisse sobre sua vida e a solidão que enfrentou ao receber a notícia e o tratamento que passou a seguir.

Reprodução

Viúvo já há alguns anos, seu único filho possui uma deficiência que o torna totalmente dependente, então Mohamed teve que lidar com o medo sozinho nos dias em que ficou no hospital após uma cirurgia. Que aconteceu um dia antes de seu aniversário.

Após esse fase sofrida, ele pensou em todas as crianças com deficiência que não têm um lar, onde possam compartilhar com as pessoas que cuidam delas.

O que ele viveu no hospital acontece com milhões de crianças abandonadas, pois devido às suas doenças, às vezes terminais, muitas vezes representam um problema para quem deseja adotar alguém.

Sua doença teve um marco em sua vida. Mohamed se empenhou em adotar essas crianças que estão em fase terminal para que antes de morrer conheçam o amor e sintam como é ser cuidado.

Ele diz que muitas dessas crianças não tem quem os carregue, quem fale com eles, e ele quer oferecer isso e tudo mais que eles mereçam.

Reprodução

Recentemente ele adotou uma garotinha que sofre de uma doença que não permite que ela viva mais de dois anos, então um dos propósitos atuais de Mohamed é transmitir a ela o amor e a preocupação que toda criança deve ter, independente de sua condição.

Reprodução

Sua história tem inspirado pessoas por todo o mundo, que ajudam Mohamed em uma campanha que busca arrecadar dinheiro para ajudar a financiar os tratamentos médicos de seus filhos adotivos, a maioria dos quais depende de medicamentos caros.

“Somos todos seres humanos, devemos ajudar uns aos outros.”, disse Mohamed.

Em 20 anos, Mohamed Bzeek adotou e cuidou de 80 crianças.

Imagem de Capa: Reprodução

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!