Apesar da ascensão do movimento de positividade corporal nos últimos anos, muitas mulheres de todas as formas e tamanhos ainda sofrem pressão da sociedade para se encaixar ao tipo de corpo considerado “ideal”.

Uma jovem de Toronto, Canadá, se abriu sobre sua experiência de ser atacada por sua forma física e até a apelidaram de “anoréxica”, pedindo para ela “colocar um pouco de carne em seus ossos” e até perguntando se ela é “um cara” – tudo porque ela tem um peito pequeno e é naturalmente magra.

Clara Dao conseguiu transformar os comentários odiosos que recebia como uma força de mudança.

Agora, ela é uma forte defensora da positividade do corpo, compartilhando sua história para milhões de seguidores nas redes sociais, enquanto compartilha imagens dela própria em biquínis e tops para desafiar as pessoas desagradáveis.

A jovem de 24 anos percorreu um longo caminho com sua própria positividade corporal, já que as piadas dolorosas que recebia a levaram a considerar um cirurgia nos seios quando era mais jovem.

A influenciadora chegou a comprar suplementos para ganho de peso em uma tentativa de tentar mudar seu corpo, mas agora ela percebe que o caminho que estava seguindo era preocupante, e aprendeu a amar seu corpo e orgulhosamente o exibe para ajudar os outros.

Clara chegou a ler o seguinte comentário de um usuário da rede: “Sem ofensa, mas como você amamentaria um bebê no futuro?” Outra pessoa cruel brincou: “Plano em todos os lugares, nada para tocar ou sentir”.

Em uma publicação no Instagram, Clara disse: “Todo o conteúdo que criei é o que eu gostaria que meu eu passado pudesse ver. O eu de 16 anos que chorava até a cama todos os dias, tendo que ouvir as pessoas constantemente apontando o que estava errado com ela, desejando que ela pudesse se parecer com outra pessoa, sempre esperando que um milagre acontecesse para que ela pudesse acordar com o corpo ‘perfeito’.

“A questão é que ela não percebeu que ela já tinha o corpo perfeito, e esse corpo perfeito era aquele com o qual ela nasceu.”, disse.

Com um enorme número de seguidores de 2 milhões no TikTok e 1 milhão no YouTube, além de 156.000 pessoas no Instagram, Clara agora usa suas plataformas para educar outras pessoas sobre as realidades da ‘vergonha magra’ e estimula as pessoas a se amarem, independentemente do tamanho que seja.

Imagem de Capa: Instagram

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!