Uma história contemporânea compartilhada pelo New York Times, fala sobre um cachorro que definitivamente não era um bom menino.

No ano de 1908, em Paris na França, um cachorro ouviu uma criança gritando por socorro depois de cair no rio Sena. O cão, procurou a origem dos gritos antes de mergulhar no rio e resgatá-lo, como um verdadeiro herói.

Até aqui, a história é realmente linda e emocionante.

No entanto, de acordo com relatos, os problemas começaram quando o cachorro foi recompensado com um belo pedaço de carne por salvar a criança de um afogamento.

Mas a recompensa por seu bom ato acabou por motivação o cão para o mau comportamento.

O cachorro percebeu que salvar crianças era um caminho para ganhar carne, e não teve a força moral de simplesmente esperar que elas caíssem sozinhas.

Alguns dias depois, ourtra criança estava brincando no Sena quando também caiu. O mesmo cachorro pulou de volta no rio, sendo herói pela segunda vez. E mais uma vez, o cachorro recebeu um pouco de carne, reforçando seu palpite.

O padrão de resgates, seguidos de carne, seguidos de resgates continuou por um tempo. Além do mais, era um número suspeito de crianças caindo no Sena em um breve período de tempo, muito menos levando em consideração a proximidade de um único cachorro.

Não demorou muito para que o New York Times publicasse uma história escandalosa de primeira página: “UM CÃO FALSO HERÓI” com a legenda condenando: “empurra crianças para o Sena para resgatá-las e ganhar bifes”.

Segundo o New York Times, “sempre que ele via uma criança brincando na beira do rio ele prontamente a jogava na água”.

O cachorro então aprendeu a associar crianças resgatadas por ele a um bom pedaço de carne de primeira.

Imagem de Capa: Joshua Choate por Pixabay





Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!