Engraçado como o mundo da voltas, como os sentimentos mudam, como a gente se adapta.

Outro dia eu estava abaixo do fundo do poço, e confesso que fiquei lá por um tempo. Eu vi minha vida estagnada, eu não conseguia seguir, não enxergava como poderia viver sem a pessoa que eu achei que era o amor da minha vida. Eu vi minha mãe chorar comigo, meus irmãos pequenos me abraçando e me consolando, vi meu irmão de 9 anos me dar conselhos amorosos – logo ele que mal entende o que é amor.

Eu vi meus amigos desesperados, meus professores preocupados com a queda das minhas notas, eu vi meu diretor corporativo me oferecer uns dias de descanso, vi minha vida desmoronar diante dos meus olhos. Eu vi meu apartamento ficar vazio, vi minha casa se desfazendo e foi como se as paredes simplesmente desmoronassem em cima de mim.

Eu vi minha ex-sogra passando na rua e ainda queria que ela fosse minha sogra, eu vi crianças nascendo e queria ainda ser presente na vida delas. Eu via fotos da família, e ainda queria aparecer em cada uma delas. Eu ainda queria ir nos bingos da igreja, eu ainda queria no Natal com as nossas famílias juntas, eu queria a nossa família. Eu ainda queria jantares, bilhetes e cartas de amor pela manhã. Eu ainda queria comemorar duas datas de aniversario de namoro.

Eu vi quem eu amava beijando outra pessoa na minha frente, eu vi quem eu mais amei se reaproximar de quem só a fez sofrer. Eu vi quem eu amava chamando outra pessoa de “amor”, eu vi quem eu amava passar do meu lado e agir como se nunca tivesse me conhecido. Eu vi a minha pessoa amada dividindo uma conta na netflix com um outro perfil que tinha o nome de AMOR. Engraçado, aquele perfil não era o meu, eu não era o amor dela.

Eu me vi em mil pedaços, eu me vi desistindo da vida.

Eu me vi em um estado que chama-lo de decadente era elogio. Eu me vi saindo para tentar me distrair e não parava de pensar na pessoa que eu tanto amava. Eu me vi sorrindo para inúmeras fotos e sangrando por dentro. Ver e ouvir tanta coisa assim me fez despertar, e enxergar que eu amava uma pessoa que nunca me amou, e o amor tem que ser reciproco. Se não há reciprocidade, não permaneça.

Eu fui vendo meu amor partir dia após dia, e a cada dia quanto mais doía, mas eu enxergava que só eu amava. Mas eu aprendi que não adianta eu sofrer por algo que eu nunca tive.

Então, depois de tudo que eu passei, tudo que eu superei, não me perguntem por que eu não vou fazer nada, já que meu amor esta indo embora. Vocês não enxergaram, mas meu amor foi embora em cada situação dessas descritas acima. É triste, lamentável, mas meu mor já me deixou faz tempos! E acreditem, ver o corpo indo embora é libertador!

Por: Thais Rocha

Imagem de capa: Justin Groep on Unsplash

VEJA TAMBÉM




Thais Rocha
Mineira com paixão pelo Rio de janeiro, amante de tatuagens, viagens e um bom vinho. Engenheira Civil, mercadóloga, aquariana, amante da vida, sonhadora, pessoa que escreve sobre a vida, os amigos, as dores de amores passados, emoções de novas descobertas e sentimentos. Compartilho experiencias e opiniões. Escrever me traz leveza pra alma.