Infelizmente, muitas são as famílias que não têm condições financeiras para cuidar dos seus filhos, acabando estes por irem parar ao sistema de adopção. E o pior é que, quando se tratam de irmãos, muitas vezes estes acabam por ser separados, perdendo o contacto para o resto da vida.

Foi precisamente o que aconteceu com o empresário Antonio Nunes, de 35 anos, que quando era jovem soube pela sua avó, por quem foi criado, que a sua mãe havia entregue os seus dois irmãos mais novos para adoção assim que estes nasceram, por volta de 1980, por não ter condições para os criar.

Desde então este decidiu procurá-los, mesmo tendo como única informação dos mesmos apenas as suas datas de nascimento, pois apesar de manter contacto com a sua mãe biológica, a relação nunca foi muito próxima.

Em 2016, Antonio conheceu Jefferson Greueli, o seu irmão do meio, um ano mais novo, que soube da sua história pela mãe adoptiva após o seu pai falecer, tendo conseguido encontrar Antonio facilmente. Contudo, não havia muita informação sobre o irmão mais novo. Juntos, ainda tentaram recorrer ao sistema público de adopção, mas sem sucesso.

O único contacto que tinham era o de uma mulher cabeleireira que havia intermediado a relação entre a mãe biológica e a família adotiva, contudo esta também não dispunha de muita informação, sabendo apenas o nome do pai adoptivo – João – e que tinha encontrado o irmão desconhecido por mero acaso numa secção de votação do Cedup, nas eleições municipais de 2016, ou seja, este ainda vivia Blumenau, terra de onde os irmãos eram naturais.

Ainda assim, Antonio e Jefferson continuaram sem conseguir encontrar o irmão. Até que um certo dia, uma grande coincidência acabou por juntar os três!

Dono de uma revenda de gás no bairro da Velha, em Blumenau, chamada “Tonho Gás”, Antonio faz bastantes entregas regularmente a empresas-clientes, e foi precisamente numa dessas empresas que este conheceu Maicon Luciani, um dos funcionários de uma dessas empresas.

Durante quase 10 anos, estes acabaram por criar uma boa relação de amizade devido aos encontros frequentes de trabalho. E por isso mesmo, quando Antonio viu uma publicação no Facebook de Maicon a procurar trabalho em 2018, este não hesitou em oferecer-lhe emprego na sua empresa.

Um certo dia, na viagem de volta do trabalho, Antonio, Maicon e Fábio Riffel, um outro funcionário, começaram a falar dos seus passados. Foi então que, mesmo o empresário nunca ter referido que andava à procura de um irmão mais novo que a sua mãe havia entregue para adopção, Maicon referiu que o sobrenome de sua família biológica era “Nunes” – o mesmo de Antonio – e que não só era adoptado, como a sua adopção havia sido intermediada por uma senhora cabeleireira que trabalhava na rodoviária.

Antonio percebeu imediatamente o que isso significava, tendo dito:

“Gordo, tu és meu irmão, cara.”

Maicon não percebeu bem o que ele estava a querer dizer, mas assim que ele continuou, nem queria acreditar. “O nome do teu pai não era João? Tu não conheceu a cabeleireira no Cedup no dia das eleições?”, perguntou-lhe Antonio.

Ainda assim, demorou cerca de um dia para Maicon se convencer que havia finalmente conhecido um dos seus irmãos mais velhos. “Eu sabia que tinha dois irmãos e uma mãe, mas nunca fui atrás. Descobrir que meu chefe é meu irmão foi um susto muito grande”, contou ao jornal O Município de Blumenau

Claro que Antonio ligou imediatamente para Jefferson para contar a novidade: a família estava completa, finalmente, e para o comemorar, marcaram um churrasco para o fim de semana.

“Agora é uma vida nova. Estamos nos adaptando, pois ainda é tudo muito recente. A vida é uma caixinha de surpresas”, celebra Antonio.

COMPARTILHAR

VEJA TAMBÉM





COMENTÁRIOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!