Estamos cada vez mais conscientes e alertas das formas de abuso, como abuso infantil e violência doméstica, mas o abuso de pessoas mais velhas permanece nas sombras, embora afete muitas pessoas.

Os filhos de Joan Blass ficaram muito preocupados quando um homem 23 anos mais novo foi morar com sua mãe.

Sua filha, Daphne Franks, de Skipton, North Yorkshire, Inglaterra, estava preocupada porque sua mãe não sabia que seu “amigo” morava em sua casa e não sabia seu nome ou de onde ele era.

“Ela estava perguntando: ‘qual é o nome dele? De onde ele veio?'” A essa altura, Joan mal conseguia lembrar seu próprio nome, muito menos o de seu toyboy.”, de acordo com publicação no The Mirror.

O toy boy (traduzido do inglês ao pé da letra, “garoto de brinquedo”) é normalmente um homem que é sustentado por uma pessoa muito mais velha.

Joan Blass morreu em março de 2016 – apenas 5 meses antes de Folan morar com ela – provocando o início de um enorme “pesadelo” para sua família.

Quando faleceu, a família descobriu que o toyboy chamado Folan havia se casado com ela e a idosa com demência ainda usava a aliança de casamento de seu falecido marido Ron que morreu em 2008, após 50 anos do casal juntos.

O novo casamento da noiva de 91 anos com um homem misterioso 23 anos mais novo significou que seus dois filhos Daphne, 52, e Michael, 63, perderam sua herança de £ 200.000 – cerca de 1 milhão e 220 mil reais, – porque a cerimônia do cartório anulou seu testamento.

Daphne descobriu somente três dias após a morte de sua mãe que ela havia se casado em uma cerimônia civil.

Esclarecendo ao Predatory Marriage UK, Daphne disse: “Nós entramos em contato com o médico de família da minha mãe em tantas ocasiões, a polícia, os serviços sociais, e também recebemos aconselhamento jurídico e fomos informados de que ela não poderia fazer outro testamento ou se casar novamente por causa de sua demência grave.”

Com o novo casamento, o testamento que a Sra. Blass havia elaborado, nomeando seus dois filhos como beneficiários, foi anulado e ela morreu sem deixar testamento, o que significa que seu novo marido herdou automaticamente seus bens.

Daphne decidiu tomar medidas legais depois que Folan, agora com 70 anos, assumiu os preparativos do funeral e não convidou nenhum dos parentes de Joan. E ela ainda foi enterrada em uma cova anônima.

Folan foi processado e a audiência, que durou quatro dias, terminou favorável a ele.

Desde o “pesadelo”, a família vem pressionando por ações para impedir “casamentos predatórios”. O Predatory Marriage UK visa reformar as leis e procedimentos de casamento para proteger as pessoas com demência.

A família de Daphne recentemente trabalhou com uma instituição de caridade para obter ajuda 24 horas por dia para as pessoas afetadas pelo abuso de idosos. Ela lamentou que, se ela soubesse de uma linha de apoio antes, ela “definitivamente ligaria para ela”.

Imagem de Capa: Glen Minikin/Daily Mail

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!