Um jantar se tornou o momento mais incrível da vida de Danny Stewart e Pete Mercurio. Em 28 de agosto de 2000, enquanto Danny corria para encontrar Pete, ele viu um menino sozinho em uma estação de metrô de Nova York. O bebê estava encostado na parede, enrolado em um moletom escuro, com as perninhas para fora.

Em entrevista à BBC, Danny disse:

“Ele não estava com nenhuma roupa, estava apenas embrulhado neste moletom. Seu cordão umbilical ainda estava parcialmente intacto, então eu poderia dizer que ele era um recém-nascido. Eu estava pensando que talvez um dia ou mais. Ele olhou para cima e eu acariciei sua cabeça e então ele choramingou um pouco. Parecia realmente irreal toda a situação e, naquele ponto, eu estava tentando alertar as pessoas sobre o que estava acontecendo, mas não consegui chamar a atenção de ninguém”.

Danny percebeu que o recém-nascido estava realmente abandonado, então rapidamente procurou o telefone público mais próximo para chamar a polícia.

Quando Pete chegou à delegacia, os policiais já carregavam o bebê para ser levado ao hospital para ser avaliado. Ele lembra:

“Lembro-me de me virar para Danny e dizer a ele na calçada, enquanto o carro da polícia se afastava: ‘Sabe, você vai ficar conectado com aquele bebê de alguma forma pelo resto da vida.’”

O casal inicialmente decidiu apenas saber para onde o bebê iria para enviar-lhe um presente de aniversário todos os anos, na data em que o conheceram.

Mas uma única audiência mudou totalmente a vida do casal.

Poucos meses depois, Danny recebeu um comunicado para comparecer a uma audiência sobre o caso da criança abandonada para prestar o seu testemunho. Mas o que ele não imaginava é de que o juiz iria perguntar se ele e seu parceiro gostariam de realmente adotar o bebê.

A maioria das bocas caiu no tribunal, inclusive a de Danny. Embora o casal nem tivesse pensado em adotar a criança, eles sentiam que tinham uma ligação especial com ele.

Eles visitaram a criança em seu lar adotivo e eles perceberam que o local estava longe de ser um ambiente ideal para o bebê. E quando Pete segurou o pequeno nos braços pela primeira vez, ele sentiu uma “onda instantânea de calor”. Descrevendo o momento, ele diz:

“O bebê apertou meu dedo com a mão inteira com tanta força. Ele estava apenas olhando para mim e eu estava apenas olhando para ele, e foi quase como se ele tivesse encontrado um ponto de pressão em meu dedo que abriu meu coração para minha cabeça e me mostrou naquele momento que eu poderia ser um de seus pais, um de seus pais.”

O casal gay adotou oficialmente a criança no final de 2002.

Danny e Pete ficaram muito gratos quando puderam finalmente se tornar os pais legais de seu filho Kevin em 17 de dezembro de 2002. Alguns anos depois, depois que o estado de Nova York legalizou o casamento gay, eles se casaram pelo mesmo juiz que os ajudou adotar seu filho.

Hoje, Kevin é um promissor estudante universitário de 21 anos. Inspirado por sua própria história, Pete escreveu um livro infantil chamado “Our Subway Baby”.

Danny acrescenta: “Não consigo imaginar minha vida se não fosse assim. Minha vida se tornou muito mais rica e plena. Mudou minha visão de mundo, minha perspectiva, minhas lentes inteiras.”

Imagem de Capa: Facebook

VEJA TAMBÉM






Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!