Muitas pessoas, principalmente algumas mulheres não querem sair da casa dos 20 e poucos anos. Chegar aos 30 é sempre um drama. E olha que corremos para fazer 18 anos a fim de alcançar a maturidade e achar que somos independentes. Nunca é assim. Cada idade apresenta seus dramas, e precisamos lidar com eles de qualquer maneira.

Tudo vem como aprendizado e a paciência para viver as aventuras de cada faixa etária é necessária. Mesmo após os 20 anos não temos muita segurança e nos entregamos intensamente aos relacionamentos, sem saber que certamente quebraremos a cara. Os temidos 30 anos reforçam que você não é mais adolescente, nem tão jovem, mas madura. Quem for um pouco mais nova vai colocá-la como adulta, assertiva e que prefere outras companhias.

“(…) a emoção de sempre viver algo interessante é única e precisa ser aproveitada.”

A idade certamente é coisa da cabeça porque mesmo tarde podemos vivenciar coisas maravilhosas, afinal, quem faz a vida somos nós. Algumas vezes estaremos preparadas para tais fatos. Outras ainda não. Porém, a emoção de sempre viver algo interessante é única e precisa ser aproveitada.

Nunca sabemos se estamos agradando se o outro for o foco. Que neste ano que se iniciou com 15, 20, 46, 88 anos, você saiba que o foco é você, e quem precisa ser agradada também.

“Ame-se com todos os seus defeitos, priorize-se, importe-se.”

Os dramas de cada idade chegam para ensinar que a vida está aí para ser vivida e transformada. Sempre é tempo de ensinar, aprender, fazer o que é certo, sorrir e se encantar por alguém que você olha para o espelho e necessita de cuidados. Ame-se com todos os seus defeitos, priorize-se, importe-se. Porque ninguém fará melhor o seu papel.

Por: Caroline Santana

COMPARTILHAR

VEJA TAMBÉM





COMENTÁRIOS




Caroline Santana
Jornalista especialista em Assessoria de Comunicação e Marketing. Apaixonada pelas palavras, intensidades, pessoas profundas e café porque sem tudo isso não existiriam livros, amor, histórias e inspirações!