O Carnaval do Brasil é conhecido por ser a maior festa popular do país, sendo que em quatro dias, só o carnaval de rua do Rio de Janeiro atrai cerca de 2 milhões de pessoas por dia, havendo mesmo turistas locais que pagam entre 500 a 950 dólares, dependendo do traje, para comprar um traje de samba e dançar no desfile.

Contudo, este também é conhecido por ser uma festa onde tudo pode acontecer, desde as coisas mais loucas às histórias mais fantásticas que possas imaginar, como a que aconteceu com o bloco Boi Tolo, conhecido por nunca parar, que parou pela primeira vez para encontrarem a mãe de um menino que se estava perdido mesmo no centro do Rio de Janeiro.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

O Boi Tolo viveu um momento mágico na manhã deste domingo de Carnaval. O ‘bloco que nunca para’ interrompeu a folia para ajudar uma criança perdida a encontrar sua mãe. Por cerca de 20 minutos, os músicos pararam a música, se sentaram no chão e gritaram o nome de Ágata até que a ambulante aparecesse. Quando aconteceu o encontro, uma catarse coletiva tomou conta do bloco. “Em um segundo ele sumiu. Senti desespero e agora felicidade. Eu fiquei impressionada com a humildade e a simplicidade desse bloco”, conta a trabalhadora, que ganha R$ 70 por um dia inteiro de trabalho vendendo bebidas. O momento, provavelmente, foi mais um daqueles que entram para história do carnaval de rua do Rio. (Foto: Márcia Folleto/Agência O Globo) #BoiTolo #Carnaval2019 #CarnavaldeRua #Carnario #Carnaval #Rio #rj #riodejaneiro #JornalOGlobo

Uma publicação partilhada por Jornal O Globo (@jornaloglobo) a

Durante 20 minutos, os músicos pararam de tocar e, juntamente com os foliões, se sentaram no chão para encontrar a vendedora ambulante Ágata Januário, mãe do pequeno Rafael, um menino que acabou por se perder após a sua pulseira de identificação ter rebentado.

Em um segundo ele sumiu. Senti desespero e agora felicidade. Eu fiquei impressionada com a humildade e a simplicidade desse bloco. Eles pararam de tocar para me encontrar”, disse Ágata ao jornal O Globo.

Segundo a jornalista que acompanhou a história, os músicos e foliões do bloco baixaram-se em silêncio e começaram a gritar o nome de Ágata até que esta ouvisse e chegasse junto deles.

Sem dúvida um momento único que certamente ficará para a história do carnaval de rua do Rio, mostrando que no meio de tanta loucura e animação, o espirito de união e solidariedade continua entre um povo que todos os dias luta para sobreviver!

COMPARTILHAR

VEJA TAMBÉM





COMENTÁRIOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!