Eu apaixonei-me uma vez, o meu primeiro e único amor. Quando eu estava com ele, o meu mundo era melhor, pelo menos durante uma parte do nosso relacionamento. Então eu notei que a direção em que estávamos a ir mudou, os planos dele não combinavam com os meus, especialmente por sermos tão jovens. Ele começou a tornar-se controlador, ou talvez eu finalmente percebi que ele estava a controlar e apesar de me ter custado, eu tive que o deixar ir.

Depois que as lágrimas diminuíram, comecei a encontrar-me com caras para as quais eu não tinha nada.

Eu comecei a procurar por amor porque eu não queria ficar sozinha.

Eu ficava em casa dos meus amigos, para não ter que dormir sozinha. Eu procurava e forçava conexões que não estavam realmente lá, e eu gastei tanto tempo a convencendo que estava feliz, quando na realmente não estava.

Eu tentei dizer à minha cabeça e coração que não senti falta do meu ex, eu tentei dizer a mim mesma que as coisas eram melhores assim e rezei para ninguém me ouvir a chorar no chuveiro porque eu queria ser forte.

Eu tentava fazer parecer que ainda estávamos juntos porque eu não queria que os meses passassem e que as pessoas pensassem que eu era fraca, ou patética, ou me mandassem seguir em frente.

Mas o que eu não sabia é que não podemos consertar um coração partido num determinado período de tempo. Nós podemos sentir a dor e a tristeza pelo tempo que precisarmos.

Tu não tens uma data de expiração; não acordas uma manhã e de repente esqueces-te do jeito que ele te fez sentir.

Aprender a viver sem alguém com quem começaste a construir a tua vida não é fácil de superar. Eu não sabia o que fazer com os meus sentimentos, tentei ser tão forte por fora, sentindo-me fraca por dentro. Eu estava convencida de que romper com ele tinha sido um erro, mas ele moveu-se tão rápido enquanto eu ainda estava a tentar encontrar os pedaços quebrados do meu coração.

Então a solidão instalou-se. Sentir-me sozinha fez-me pensar em pensamentos irracionais. Tu começas a cair na luxúria com todas as pessoas em quem demonstras interesse, ou com todas as pessoas que demonstram interesse em ti.

Não há estabilidade ou sinais de compromisso, mas há um fogo aceso e a chama é o que te mantém aquecida agora.

A luxúria é desleixada e é carente, tu não tens uma conexão emocional real, mas sentes que precisas dele. Queres saber o que ele está a fazer e se ele está a pensar em ti. Sem a atenção dele, sentes que o teu mundo está a desmoronar porque anseias tanto pela atenção.

Deves ficar sozinha depois de terminares, deves ficar sozinha por tanto tempo quanto precisares de te curar, porque eventualmente a dor do teu coração não vai gritar no teu ouvido tanto quanto costumava ser quanto sentes a falta seu ex.

Há algumas pessoas que nunca superam alguém que amam, e tudo bem também. Mas antes de começares um novo relacionamento, deves estar pronta. Deves chegar a um acordo sobre estares sozinha e descobrires quem és como pessoa agora. Deves descobrir o que te faz feliz e o que queres ou não queres num futuro parceiro.

Um “bafo” amoroso da solidão não é um amor onde queres estar.

Deves namorar com alguém com quem possas ficar feliz para sempre porque, realmente, qual é o objetivo de namorar alguém se não vires um casamento no futuro? Ou pelo menos pensares que poderias passar da linha.

“Deves amar quando estiveres pronta para te apaixonares um milhão de vezes pela a mesma pessoa.”

Sabe o teu valor. Sabe quando estás pronta para mergulhar num novo amor. Não mergulhes se não puderes te comprometer totalmente. Deves amar quando estiveres pronta para te apaixonares um milhão de vezes pela mesma pessoa. Deves amar quando estiveres pronta para te apaixonares pela mesma pessoa todos os dias. Deves amar quando a visão dele fizer o teu dia mau melhor, deves amar quando o som da sua risada te fizer rir e deves amar quando acordas todas as manhãs e ele está ao teu lado.

Fica segura em quem és quando estás sozinha, porque ficar sozinha é importante. Isso ajuda-te a encontrares a tua força e a aprenderes quem és. Isso faz-te perceber que é melhor ficar sozinha do que com alguém que não está totalmente investido. Então, por favor, não permitas que a tua solidão te engane nos braços de alguém com quem sabes que não tem nada a ver contigo. Fica só, irás surpreender-te com o quanto isso te pode ensinar.

Traduzido e adaptado pela equipa de Sábias Palavras

Fonte: Thought Catalog

Autora: Becca Martin

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Sábias Palavras
Relaxa, dá largas à tua imaginação, identifica-te!