Eu te prometo

Meu bem, olha no fundo dos meus olhos e me escuta bem. O que é que foi que nos deu? Aonde foram parar aqueles nossos planos pro verão na casa de campo junto com os filhos que a gente ainda vai ter e os Golden’s Retriever que ainda vamos acolher?

O que é que foi que nos deu? Tenta me explicar. Olha no meu olho e vê se tu descobre, se tu acha um motivo. Não tem sido tudo muito fácil pra gente desde que decidimos dividir o mesmo endereço, mas parece que os nossos planos pro futuro não fizeram mudança conosco e ficaram num passado nem tão distante mas que já acumula saudades em nós dois.

Talvez isso aqui seja obra da convivência exagerada, ou talvez a gente não esteja maduros o suficiente pra resolver encarar o mundo a dois e sair das asas dos nossos pais, eu sei. Mas será que isso é motivo para deixarmos tudo aquilo o que a gente planejou pra trás?

Eu sei que essa aqui ainda não é a casa dos nossos sonhos, e tampouco compramos a casa de campo para passar o verão, mas eu te prometo que isso ainda vai acontecer com a gente. De todas as coisas que a gente sonhou e prometeu, eu te reprometo todas. Eu busco, corro atrás, mato doze leões por dia se for preciso, mas te juro. Te juro porque os teus sonhos pro futuro são também os meus. Te juro pelos nossos filhos e pelos Golden’s Retriever que ainda vamos ter, e te juro porque te amo.

Das poucas certezas que tenho na minha vida, que te amo é a principal delas, e é por isso que eu te juro que acho um jeito de fazer a gente outra vez felizes. Como? Eu ainda não sei. Me reinvento, me redescubro, te reconquisto, nos faço ser.  Te prometo buscar lá atrás o frio na barriga pra morar aqui com a gente outra vez. Serão três filhos, dois Golden’s e uma casa de campo pro verão. É assim que vai ser. E não há nada diferente disso que eu possa querer.

Escrito por Júlio Hermann, colunista do Sábias Palavras

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJúlio Hermann
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS