Carta para uma amiga deprimida

Por experiência própria, recomendo: não hesite em pedir ajuda. Quanto mais cedo encontrar um refúgio, melhor pra sua sanidade mental. Você não vai parecer fraca por isso. Nem incapaz. Tampouco infantil. Se alguém que te cerca pensa dessa forma, se afaste o máximo que puder. Você não é obrigada a nada.

 

Você não precisa aturar deboche de gente que diz ter as melhores intenções, mas age de forma totalmente oposta a isso. Nem de pessoas leigas, que vomitam achismos e teorias infundadas, sem saber que a depressão é uma doença crônica e deve ser tratada por um profissional qualificado. Muito menos o líder religioso da sua igreja alegando que o seu problema é falta de Deus – como se milhões de cristãos não passassem por isso. Essa é a hora de dispensar aquela tia mala que tem a língua maior que uma rodovia e só existe pra fazer número e sorrir falsamente nas fotos de Natal e Semana Santa. Pessoas destrutivas precisam ser interditadas urgentemente.

 

Você carece de amor em abundância. A depressão tenta nos tornar verdadeiras amebas ambulantes, incapazes de reagir aos menores estímulos e fazer tarefas simples, quem dirá aquelas de maior complexidade. É aconselhável estar com quem – ainda que não entenda completamente – tenha paciência com o nosso ritmo reduzido, os nossos momentos de reclusão, o nosso sono e cansaço infinitos, a nossa tristeza e a nossa apatia, que são facilmente confundidos com preguiça.

 

Você precisa de apoio pra voltar a fazer as coisas que sempre fez com prazer, e que agora se tornaram tão pesadas. Você precisa de incentivo, mas não que forcem a barra. Você precisa de companhias que te tranquilizem, que vão rir junto com você, que vão falar de assuntos que lhe façam bem. Ou que no mínimo, não sejam gatilhos para crises e pensamentos negativos.

 

Você necessita de um terapeuta com o qual se identifique – isso é essencial para o sucesso do tratamento. Alguém com quem você se sinta à vontade pra desabafar sobre todas as questões que lhe afligem – sem nenhuma vergonha e medo de ser julgada.

 

Amiga, o que a gente precisa das pessoas é de muita compreensão, respeito e uma boa dose de empatia.

Escrito por Aline Xavier, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEAline Xavier
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS