Verdades para tua mentira

De coração nu, com uma mão na frente e outra atrás. Foi assim que fiquei depois que você decidiu, por puro medo, seguir e me deixar aqui a tua espera.

Eu sei que, assim como andam as coisas por aqui, não está nada bem contigo.  Já te disse uma, duas, três vezes – e direi outras tantas, se preciso for –, o orgulho não leva ninguém a nada, menina.

Sei que estes teus sorrisos, quando passa na minha frente com a tua nova companhia, são pura distração e desface. Eles não brilham, não como antes, e eu consigo sentir a tua agonia daqui. Bem de longe.

Eu te conheço bem e sei que ultimamente só consegue dormir depois de se perder entre teus pensamentos pesados e perguntas confusas. Sinto tua inquietação ao por a cabeça no travesseiro todas as noites.

Sei que o teu coração ainda não se acostumou com essa rotina e que você ainda pensa em nós. Pensa tanto que se confunde com esse novo outro.

Eu sei que esse cara é insensível, não conhece teus limites, muito menos teus pontos, como eu. Não se engana.

Ele não vai brincar e te pegar no colo, te levar para a cama e te dar uma massagem, na tentativa de aliviar o teu cansaço após terem caminhado pelo parque numa tarde de sábado.

Não vai ficar deitado, ao teu lado, observando cada detalhe do teu rosto minimamente enquanto você dorme.

Não vai te pedir desculpas quando estiver errado.

Não vai te dar espaço, respeitar teus silêncios, nem compreender tua TPM.

Não vai te mandar mensagem na madrugada dizendo que sentiu saudade e que daria tudo só para te ter por perto.

Não vai olhar no fundo dos teus olhos e dizer que você é diferente de tudo, e de todas, que ele já conhecera antes.

Não vai saber qual presente te dar.

Não vai saber a hora exata de te beijar…

Você sabe que pode mentir para qualquer pessoa, só não pode mentir para si mesma. Não adianta procurar em outro alguém aquilo que você só vai encontrar em mim.

Não te permita afundar-se dentro do teu próprio mundo, por puro egoísmo e vaidade. Não te machuca tanto assim.  Não finge que já não sente mais nada pela gente.

Uma hora ou outra a casa vai cair, a consciência vai bater, você vai querer voltar e eu posso não estar mais te esperando aqui, de peito aberto, como estou agora.

Para de alimentar essa mentira que nunca será verdade e dê uma chance para viver o que existe aí dentro de você.

Vai continuar na mediocridade, vivendo uma mentira, ou vai voltar para viver a verdade? Você decide.

Fonte: Rafael Reis

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS