Valoriza(-se)

Valorize-se.
Valorize o seu tempo.
Valorize o seu corpo.
Valorize o seu amor.

Tenha amor próprio. Se namora.
Tira um tempo pra você. Só pra você.
Veste sua melhor roupa numa quinta-feira, porque sim.
Ouve sua música preferida e cante até enjoar dela.
Faça planos pro futuro.
Faça tudo que te fizer bem.
Por você.

Não se valorizando você perde a si mesma e perde o outro.
É uma situação de derrota dupla.
Não desperdice seu tempo assim.

Não aceite migalhas pelo seu amor.
Valorize todo o carinho e atenção que você tem pra dar.
E só o dê pra quem realmente é merecedor de estar contigo.
Em outras palavras, você é foda! Você é incrível.
Então só aceite estar com alguém que reconheça isso.
Que te lembre constantemente disso.
E que você queira fazer o mesmo por ele.

Ninguém gosta de gente triste.
Aliás, um saco perguntar “como você tá?” e a pessoa sempre responder “to mal… aconteceu blá blá blá”.
Tem quem é assim por depressão e esses precisam de ajuda. E tem quem é assim por ser uma pessoa triste na vida.
Não seja uma pessoa triste e que traz pra baixo todos em volta. Como se fosse uma nuvem cinza.
Seja a pessoa mais feliz do ambiente.
Espalhe felicidade.

Pessoas felizes atraem pessoas felizes.
Quem se valoriza é valorizado pelo outro.
Se você se ama, você atrai quem te ama.

Valorize.
Antes que você perca.
Antes que vá embora.
Antes que você veja nos braços de outra pessoa.

Vemos o tempo todo pessoas que só dão valor ao que tem depois que perdem. E pensamos: “pessoas idiotas”.
Vemos o tempo todo nós só percebermos o valor do que tínhamos depois que perdemos. E pensamos: “por que eu?”.

Estar num relacionamento faz o que a gente relaxe em alguns pontos. É confortável não precisar se preocupar com algumas coisas mesmo.
Mas tem sempre o risco do relaxamento crescer. Virar rotina. Virar acomodação.
E quando você se dá conta todos os atrativos que o relacionamento tinha, hoje são “tanto faz” porque perderem o valor.

Além de que hoje as coisas são muito rápidas e muito fáceis.
É fácil achar companheiro de balada. É fácil achar sexo por sexo.
As pessoas estão tão fáceis (e rápidas) que tudo se torna genérico (sim, Tinder). Relacionamentos de 15 minutos.
Veja bem, nada contra encontros casuais. Só penso que toda essa velocidade atual tem feito com que vejamos as pessoas como descartáveis.
E pior, fazendo com que vivamos em relacionamentos sem apego.
Sem valor.

“Tudo bem se não der certo, eu encontro outro.”
É uma frase comum. Mas não pode ser possível amar assim.

Quando foi que nós mudamos radicalmente de “se tá ruim, conserta” pra “se tá ruim, joga fora!”?
Isso tá errado em tantos níveis diferentes.
Uma relação não pode ser descartável. E se está numa que sente ser, por que está nela?
Se tá ruim, você tem que consertar as coisas. Juntos!
Isso é companheirismo. Isso é um relacionamento maduro.

Por isso em tempos de relacionamentos de 15 minutos a gente tem que saber valorizar o que tem.
A relação e a pessoa. Alguém legal é tão raro hoje em dia.
Alguém que realmente se importa é tão difícil de encontrar.
Não deixe pra dar valor quando você não tiver mais isso.
Cuide bem.
Não deixa pra valorizar depois de perder.

 

____

Escrito por Hudson Baroni v

Publicado em Deu Ruim

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS