Um abraço é o melhor remédio para muitas dores

Às vezes tudo o que nós queremos é um abraço e um carinho no momento certo, que sem palavras nos digam “estou aqui e estou com você” e que nos deem calafrios que desfaçam nossos temores.

Por isso se diz que às vezes um bom abraço é o melhor remédio para muitas dores, uma substância que, sem ser material, alimenta nossos sentidos e dá potência à nossa força, à nossa capacidade para encarar a vida de frente .
E assim, quando nos agarramos às pessoas, acreditamos também em nós mesmos e acalmamos nosso coração, enquanto ao mesmo tempo desenhamos um grande sorriso em nossa mente emocional e fazemos eco a todos os motivos que se comportam como arquitetos de nossas alegrias.

Um forte abraço afasta todos os nossos medos

É assim, um abraço forte quebra todos os nossos medos e se comporta como um tratamento curativo que serve para todo tipo de dor, permitindo que nós superemos nosso mal-estar.

Por meio de um abraço deixamos de lado o compromisso com a pisada no freio e damos velocidade ao entusiasmo da vida, conseguindo assim um efeito atenuante para os nossos sintomas mais diversos.

Mas é certo que, além do que diz respeito a nossas sensações objetivas, o fato de ter um sentimento positivo para focar nossa atenção (nos sentirmos queridos) no momento adequado pode fazer com que outras dores físicas ou psicológicas diminuam sua intensidade.

Para dar um bom abraço só precisamos de vontade, carinho e entusiasmo, que quando encontrados apagam a distância emocional entre duas pessoas que se gostam e que sabem sorrir mais além do próprio rosto.

A importância dos pequenos detalhes

Na vida real não se dizem frases de filmes, nem ninguém cruza oceanos para imortalizar um momento de um sorriso ou abraço como se aquilo não fosse nada demais. Na vida real nos comunicamos com pequenas coisas que fazem com que o dia a dia tenha momentos que não sejam apenas grandes, mas enormes.

O que os abraços e os carinhos nos ensinam é a nos deixarmos livres e capazes de sentir, de desenvolver as emoções de nossa inteligência, a rir das coisas bobas, a saborear um bolo indecente, a contemplar absortos como se fecham nossas pálpebras quando um doce abraço nos faz fechar os olhos.

Então nos liberamos da pressão do silêncio e saboreamos, damos virtude e poder ao pequeno, ao rotineiro, ao que é capaz de recompor nossos pedaços e dar a perfeição às peças congeladas do nosso sorriso até que percebamos o quão pequenos somos.

Estamos falando que aquele que nos machuca não pode competir com as várias razões que podemos encontrar dia após dia para alimentar nosso bem-estar e nosso crescimento emocional. As pessoas morrem de amor e de carinho tantas vezes que é fácil perder a conta do tanto que nos afundamos em abraços nos ressuscitam. 

Os desejos emocionais que se traduzem em abraços

É fácil desejar as pessoas. Não de um modo sexual, mas emocional. É fácil que tenhamos a necessidade de um toque de pele, sentir o cheiro e o calor por meio de um abraço. Ver no interior de alguém sem nem olhar e sentir-se bem com esse desejo.

É fácil conhecer alguém e sentir que há uma conexão. Sem mais. Sem enrolações. É fácil sentirmos que estando perto de alguém temos tranquilidade, essência, autenticidade e sintonia. 
Compartilhar

Também é fácil que essas pessoas nos façam querer explorar emoções, desejos e sentimentos que nos convidam a deixar marcar com o tato de nossos abraços, de nossa mente livre e nosso corpo tranquilo.

É fácil nos sentirmos bem com um abraço porque os abraços foram feitos precisamente para isso, para que nos revitalizemos e olhemos para o coração em um momento preciso que intensifica a qualidade de pertencimento de uma mente emocional que deseja aliviar suas dores.

FONTEA Mente É Maravilhosa
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS