Tudo na vida é passageiro

Outro dia, observando o trânsito pela janela da casa de uma amiga, cheguei a uma conclusão: tudo na vida é passageiro. “Pô, é mesmo Jéssica? Mas acho que já disseram isso.” Eu explico:

É como se fossemos verdadeiros ônibus rodando por essa grande rodovida. Cada um de nós tem o seu destino já traçado, já tem uma ideia de onde quer chegar e pelo caminho vamos encontrando pessoas que embarcam na nossa história.

A rodovida nem sempre tem o asfalto liso. Na maioria das vezes é esburacada, sem sinalização e de vez em quando descobrimos que estávamos indo pelo sentido errado. Nada que um retorno não resolva. Mudanças de rota são muito bem vindas. Existem também os sinais vermelhos, e se você não souber a hora de parar, pode acabar interrompendo a sua viagem ou bloqueando o caminho de outros. Melhor respeitá-los.

Mas e os passageiros? Eles são muitos. E têm o poder de transformar o seu trajeto em algo extremamente prazeroso, inesquecível. Alguns vão seguir com você até o ponto final, outros vão ficar pelo caminho e sempre vão existir aqueles que disseram que pegaram o ônibus errado, que tudo não passou de um engano. Para aqueles que já estão na estrada há muito tempo, e carregam uma certa bagagem, recomendo que você dê uma carona e ouça suas recomendações.

Não se esqueça jamais de que você também tem o poder de expulsar quem quiser do seu ônibus. E quando a viagem parecer longa demais e os olhos ficarem cansados, faça uma parada. Não é vergonha nenhuma e todos nós temos esse direito.

Gostaria de desejar a todos os passageiros, caronistas e até mesmo os ambulantes de minha vida uma boa viagem. Que possamos aproveitar momentos maravilhosos um ao lado do outro e que tornemos nossa trajetória inesquecível.

Ah, usem sempre o sinto de segurança. Com “S” mesmo. Ele pode impedir que você se esborrache por aí…

TEXTO DEJéssica Mendes
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS