Te amo com urgência

É que quando a gente gosta da um vontade de estar sempre – cada vez mais – perto, é um querer tão grande como se não coubesse dentro das infinidades de beijos dados no curto espaço de tempo, um querer que não cabe naquele abraço de horas que faz o braço ficar dormente.

Nunca é suficiente o tempo que se tem para gostar, todos os cuidados e mimos do mundo são para agora, pra já, e não há apreço pro depois… Depois o carinho já se intensificou e o gostar ficou maior, depois eu preciso de mais tempo pra você e pra nós dois!

Gostar não tem espera, mas dá saudade, é sentir pela falta do par que se afastou para ir ao banheiro ou desentrelaçou a mão para coçar a sobrancelha ou pegar moedas no bolso, é estar ao lado mas angustiar-se pela hora de ir embora – ainda falta bastante mas já é agora- , é desejar que o jantar atrase, que a chuva aumente, que os sinais estejam fechados e o trânsito engarrafado, desejar que o tempo pare só para não desfazer o abraço, não levantar do colo, não interromper o beijo. Porque eu tenho uma porção de cafunés que são para hoje e estou te devendo uma massagem, a gente nem comeu a sobremesa e o filme ainda esta na metade, não saí daqui não que o banheiro é do outro lado do corredor à milhas daqui, deixa a pia da cozinha pingar porque você pode perder preciosos minutos da minha companhia indo até lá.

Isso, faz assim, me põe nas costas e me carrega por aí. Não no banheiro. Eu não quero ir junto. Desiste de ir no banheiro. Fica aqui comigo se não eu morro de saudade. Hei, veja só, estou tendo um infarto! Acho que você muda de faculdade, troca de curso ou para de estudar, muda de endereço, de trabalho… Só não troca de namorada.

Fica comigo, agora, depois e mais um pouco.

Jéssica Mattos

COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS