Sobra garoto, falta homem

Sobra garoto.
Sobram aos montes.
Sobram em cada post “ostentando” no Facebook.
Sobram em cada comentário machista desrespeitoso.
Sobram em cada “baladinha monstra” com seus baldes cheios de cerveja e cabeças vazias de ideias.

Esse texto ia se chamar “uma geração de homens mimados”.
Porque é isso: criamos uma geração de homens mimados. De caras chatos!
Que fazem pirraça quando não recebem na mãozinha o que querem.
Que não sabem retribuir, pensam que é um prazer servi-los.
Que se sentem os melhores, acham que o mundo gira em torno deles.
Que não correm atrás de nada, mas querem que venha até eles.
Que não fazem oral na parceira, mas querem ser chupados.
Que não pode fazer um “sacrifício” por você, mas fica de bico se não fizer por ele.
Que usa e faz o que quer, mas critica se você sair com amigas ou se usar aquela saia ou vestido.
Essa lista podia continuar vergonhosamente grande, mas resumindo:
São apenas garotos, meninos, bebês de 20 e poucos anos (quando não 30, 40…) mimados, vazios, chatos e prepotentes.

É uma multidão de garotos iguais, genéricos, com as mesmas atitudes.
Inclusive com as mesmas roupas, mesmas gírias e mesmos gostos.
Garotos que você olha o rosto e esquece 1 minuto depois.
Vão surgir e desaparecer da sua vida sem deixar marca.
Que não somam, não subtraem.
Insignificantes.

Sobram garotos que não sabem como tratar uma mulher.
Que não sabem que elas não são objetos, que não são prêmios ou troféus.
Ironicamente esses são os que mais se gabam disso ou daquilo.
São os que parecem que precisam provar alguma coisa pra alguém, talvez pra eles mesmos.
São como pavões inseguros mostrando as plumas, querendo migalhas de atenção.

E nisso, sobra garoto que vai te ligar, mas não liga.
Que vai te chamar pra sair, mas te enrola.
Que vai te tratar melhor, mas destrata.
Que pede carinho, e dá nada de volta.
Que vai jurar te amar, mas não amará.
Que diz ser diferente, mas é igual.

Mas a pior parte é ver que sobram gurias que insistem em cair nesse papo.
São vocês que perpetuam o fato de terem garotos de sobra.
Não adianta você ser uma mulher incrível se for pra dar atenção pros caras que não vão valorizar isso.
Depende de você cortar isso.
Cadê o amor próprio?

Eu sei, falta homem.
Faltam caras que tenham palavra.
Faltam caras que tenham atitude.

Falta homem que te faça se sentir como a única pessoa que importa no mundo.

Falta homem que realmente se importe com a sua opinião e o que você tem a dizer.
Que te enxergue de verdade enquanto você fala, e te escute com atenção.
Que te apresente na roda de amigos com orgulho de segurar sua mão.
Que cumpra todas as promessas que te faz.
Que te permita ser você mesma.

É uma droga faltar isso, eu sei.
Mas eu acredito em duas coisas:
– Se todo mundo fosse especial, ninguém seria especial.
– Uma hora a gente encontra alguém que sabe fazer a gente feliz.

Então uma hora tudo se acerta.
E ignorando esse monte de garoto, você encontra quem valha à pena.
Aí é só fazer dar certo.

 


Tudo começou no texto “A insegurança do homem é uma mulher segura“.
Onde tive feedback fantástico de várias gurias que se identificaram.
E o xingamento de vários caras se sentindo incomodados com “empoderamento exagerado das mulheres”.
Mas sabe o que dizem sobre a carapuça, né? Se a de inseguro serviu à vocês…

Então, sim, vou continuar empoderando mulheres fodas.
E, sim, vou continuar dizendo que sobram caras fracos e inseguros.
A dica é: gritem menos e sejam melhores!

FONTEDeu Ruim
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS