Sinto falta de você

Talvez, se não fosse pelo frio na barriga que você me causa, eu nunca te escreveria isso daqui. Teve um dia, e você deve lembrar bem, que eu disse que não precisava de você aqui, na minha vida, na minha cola. Mas eu menti, e só percebo agora. Menti porque eu não sabia que eu precisava de ti, e que era você, e mais ninguém.

Depois que a gente se despediu do caminho um do outro prometendo enchentes de desgraças, eu passei a frequentar lugares que você me proibia e sair com gente que eu tenho certeza que tu desdenharias. Mas você tinha razão. Isso aqui não faz bem pra mim, nunca vai fazer. O que verdadeiramente me faz bem e me coloca nos eixos é você aqui. E eu sinto falta disso.

Mais do que do nosso sexo, eu sinto falta de quando tu me despia da fantasia e me colocava de volta na realidade. Me dizia ó meu bem, é assim, te coloca no meu lugar e enxerga, isso está errado. Mais do que das nossas noites selvagens regadas a risadas e lençóis suados, eu sinto falta de quando você me puxava de volta pra realidade, e me levava pra onde eu não queria, mas deveria estar.

Mais do que falta dos teus beijos, eu sinto falta de quando a gente andava de mãos dadas e eu não tinha o medo que eu tenho agora de nunca mais poder te dizer isso. Sinto falta de te elogiar, te paparicar e também da nossa reciprocidade. Falta até mesmo das nossas brigas, discussões, tentativas e fracassos. Falta dos nossos medos, angústias e do frio da barriga que só você me causa.

Talvez, se não fosse por isso, eu nunca te escreveria isso daqui. Mas te escrevo porque o meu medo de te perder é muito maior que o meu orgulho. Te escrevo pra te dizer que aquele dia eu – mesmo sem saber – menti. A verdade é uma só: eu preciso de ti.

Escrito por Júlio Hermann, colunista do Sábias Palavras.

Escritores-01

FONTESábias Palavras
TEXTO DEJúlio Hermann
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS