Se você tem mais de 30 anos já deve ter percebido: o sono muda muito ao longo da idade – quanto mais velha a pessoa fica, mais cedo ela se cansa e mais cedo ela acorda.  Se os bebês podem dormir até 16 horas por dia, um adulto irá ficar na cama entre sete e oito horas por dia – e esse número diminui mais ainda quando a velhice chega.

 

As alterações normais do sono chegam com a avançar da idade, sendo elas: dormir por menos tempo, levar mais tempo para conseguir dormir, acordar com mais frequência durante a noite, acordar mais cedo, ter sono mais cedo e cochilar durante a tarde.

 

E se você percebeu que seu sono não é mais o mesmo de antes, alguns hábitos podem garantir a melhoria da qualidade de seu descanso:

 

Mantenha o quarto fresco e deixe o ar circular durante o dia.

 

Evite focar nas preocupações antes de dormir.

 

Mantenha o quarto escuro e, antes de dormir, evite focos fortes de luz, como a televisão, por exemplo.

 

Limite os cochilos ao início da tarde, caso você realmente precise deles.

 

 

Tenha uma rotina de sono indo dormir em horários parecidos. Alterar muito o momento de ir para a cama pode dificultar o ciclo.

 

Evite álcool, cafeína e tabaco.

 

Faça exercícios físicos durante o dia, mas evite a academia depois das sete horas da noite.

 

Use sua cama apenas para dormir e fazer sexo. Evite trabalhar, ver TV ou estudar nela.

 

Evite olhar para o relógio quando acorda durante a madrugada.

 

Se a falta ou excesso de sono estiver incomodando muito, converse com seu médico, pois pode ser mais do que o avançar da idade. Dor crônica, depressão e distúrbios de sono devem ser tratados por especialistas.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS