Seria apenas mais uma história, se não tivesse tocado a alma

É visceral no sentido mais profundo da palavra. Grita por dentro, mas não precisa se exibir por fora. Porque de tão bonito, quer preserva-se de tudo que possa tentar destruí-lo. Para este sentimento não existe distância, e transcende a necessidade física, porque o outro está ali, do lado de dentro.

Há um momento na vida em que experimentamos uma abertura da consciência a uma outra consciência. É a experiência de um ser finito que se abre para algo infinito. Experiência de eternidade no tempo. Experiência transcendente, experiência de profundidade, experiência que existe em todo ser humano. Um encontro de um espírito com outro espírito, de um coração com outro coração, onde a fusão é gratificante, onde é possível experimentar a unicidade e a completude.

Somente quando duas almas se reencontram é que existe tão e somente o momento; não existe a carga do passado e o medo do futuro. As percepções são únicas e não há mais nada igual. A conexão das almas é feita entre todos os chakras, o desejo de conexão vai literalmente dos pés à cabeça e as duas almas evoluem juntas. E é incrível como algumas histórias parecem mesmo ser escritas pelo destino. É como se tivessem que acontecer.

Creio que todo Amor nasce na alma. É um sentir para além dos desejos carnais. Nele não são precisos alardes e nem ruídos. Não cabem rumores e nem juízes. Não há lei maior do que o Amor… Ele pertence à suas entregas e cumplicidades. É feito de exclamações e afinidades afirmativas. Não necessita de alardes. É suficiente a quem o sabe, porque de tão bonito reserva aos seus o encantamento. Traz em si a completude. Transcende o mundo da matéria. É singular.

Amor de almas é um sentimento que vive de eternidade. Enquanto o corpo arde em desejo, e pede urgências, a alma esconde um sossego bom, como um parêntese, que guarda a palavra mais bonita. É visceral no sentido mais profundo da palavra. Grita por dentro, mas não precisa se exibir por fora. Porque de tão bonito, quer preserva-se de tudo que possa tentar destruí-lo. Para este sentimento não existe distância, e transcende a necessidade física, porque o outro está ali, do lado de dentro.

Amar o outro é um estado de alma. É como uma experiência de transcendência. Quando estamos conscientes de que o amor ali existe, vemos na relação não uma obrigação de nutri-la, mas a vontade de. Sentimos a sensação de que estamos tendo a oportunidade de enriquecer a nós mesmos extraindo de um sentimento o que há de mais genuíno nele. Isto nos humaniza, nos alegra, nos sensibiliza, nos conecta com uma dimensão maior do amor. Amor e desejo florescem das entranhas, e cresce ali, em suas reservas, em seus segredos, em suas esperas infinitas. E quando chega a gente entende que estava guardado, esperando por nós num tempo que não se dimensiona. É atemporal.

E quanto se pode amar? Bom, Amar alguém não se cabe numa vida… e nem na gente. Amor de alma ecoa. Alguns amores não nos cabe entender, mas sentir: Estava escrito. E independente do livre arbítrio, sempre chegaremos ao encontro do que nos está destinado, ainda que não permaneçam juntos corporalmente, há um momento eterno nesse encontro. Então, que você entenda de intensidades mais do que de quantidades. E saiba esperar, pois um dia a história (re) acontece. Um dia a alma é tocada, novamente. Um dia vocês se reencontram, se reconectam…

E que esse Amor transcenda, transpire, transborde. Que ele surpreenda, sem nada inventar, sem precisar exagerar, sem ter que sempre entender. Simplesmente seja… preencha, exista! Que ele esvazie, abra espaço, permita. Que ele permaneça. De você para você, de você para ele, e dele para você. Que ele invada respeitando, que adentre acariciando, que ocupe com leveza. Sem ego. Que acolha, que perdoe, que reconheça. Que ele desconheça para conhecer, que nunca lembre, porque não esqueceu! Que seja um Amor que é… assim, sem mais nem menos, sem eira nem beira, sem quê nem porquê. Que ele não peça, que não se dê, porque já é! E que você não precise procurar, para não encontrar, porque ele já está. Que ele faça crescer. Que seja de coração gigante e de alma transparente. E que esse Amor dispense rótulos, fórmulas e alegorias.

Duas almas que se reencontram são viajantes além do espaço e tempo. Sentem o outro à distância. Pressentem a presença, sofrem a ausência. Dizem que a energia entre essas almas é tão intensa, que um sente o outro em pontos opostos do planeta. Nada pode deter esses encontros talvez marcados e esperados há muitos séculos e muitas vidas. O Amor nada impõe, nada exige, exceto de dar vazão a este sentimento.

Amor de almas: Quando o corpo e a alma se unificam. Você renunciaria um encontro desses em sua vida?

__________
Autor desconhecido

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS