Seja quem você é e não o que os outros esperam que você seja

Despedidas surgem sem aviso prévio. Corações são partidos. Por aí, muita gente fica sozinha. A solidão é uma coruja que surge na noite escura. Ela repousa na janela de nosso sono e fica ali, à espreita. Enquanto dormimos, a ave soturna vigia nossos sonhos.

Muitas pessoas ficam sós, e assim pretendem ficar, por opção consciente e resoluta. Porém, há almas solitárias que voam por estrelas perdidas, à procura de outra alma também sedenta de amor. Mas, por algum motivo, ninguém se encontra. E por que é tão difícil encontrar alguém para amar?

O medo de se envolver e de sofrer parecem ser as principais dificuldades das pessoas. Por isso, é muito mais fácil se apegar a qualquer coisa para não se sentir sozinho. Nossos olhos e ouvidos são bombardeados o tempo todo. Parece não haver espaço para qualidade em meio a essa quantidade de informações (muitas, nem sempre verdadeiras). Nos robotizaram em um mundo de soluções rápidas e práticas. Ficou mais seguro relacionar-se por trás da tela do celular, sozinho, de sua casa, do que dividir o mesmo ambiente com a outra pessoa. E, nessa confusão de sentimentos, o amor fica sufocado. Ele se dilui pela falta de vínculos e laços sólidos. Assim, fica impossível enxergá-lo em sua essência.

Uma pessoa não é um objeto estocado em prateleiras para se experimentar e trocar na primeira dificuldade. Relacionar-se com alguém requer desprendimento e coragem. Relacionamento não é algo que você fica provando semana sim, semana não, ou só quando quiser. Se não estiver a fim de cair de cabeça numa relação, é melhor nem começar.

Aquela velha história ainda é válida. Só atrai o outro quem estiver amando a si mesmo e ao próximo. Mesmo que sejamos seres imperfeitos em busca da felicidade, e que soframos quando não está tudo perfeito, ainda somos parte de um todo. Estamos todos juntos. Porém, somos incríveis quando nossa singularidade nos define.

Apesar de toda confusão lá fora, e de qualquer insegurança aí dentro, não deixe de ser você mesmo. Sobreviva àqueles que se julgam superiores. Seja quem você é e não o que os outros esperam que você seja. É aqui dentro da gente que vive o que realmente importa. E que brilha a luz que o outro enxergará.

Não perca o amanhã tentando entender o ontem, esqueça a tormenta que passou. Liberte-se do medo de amar. Preste atenção nos detalhes e abra o seu coração. Quando se perder em uma névoa de desilusão, e achar que não existe outra solução a não ser desistir de si mesmo, reconheça-se. Ame-se. Acorde e olhe o mundo com a ansiedade de uma criança inocente, mas com a serenidade de um adulto maduro.

Pode ser que não seja fácil encontrar alguém disposto ao amor. As pessoas estão cada vez mais individualistas, acostumando-se às relações cibernéticas e superficiais. Mas, ouça… Tem um pássaro cantando no seu peito. É o canto do deslumbramento.

Acontece quando você menos espera. Quando você já nem pensava mais em voar tão longe.

FONTERevista Bula
TEXTO DERebeca Bedone
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS