Seja espontâneo

Por Taíla Quadros, colunista do Sábias Palavras.

Vamos parar com isso, minha gente. A sinceridade e a clareza são as necessidades básicas de todas as relações. Jogar, dissimular e fingir são estratégias e isso podemos usar em jogos de tabuleiros ou em guerras. O amor, a amizade, o companheirismo são feitos de improviso. De sorrisos espontâneos e em momentos inconvenientes, de tentativas de surpresas desajeitadas, mas que mostram o melhor das nossas intenções. Dos momentos descontraídos e não calculados surgem as nossas melhores lembranças. De presentes simples, uma flor roubada da cerca, uma concha da beira da praia, um beijo com gosto de verão.


Pare para pensar nos seus momentos mais felizes e em quem te acompanhou nessa hora. O que mais te marcou? Um presente caro ou a companhia e o calor da certeza de ter alguém para todas as horas? A presença tem esse nome justamente por ser a maior dádiva, a presença. Marcada pela espontaneidade, pelo andar de mãos dadas, pelo rir à toa, perder a vergonha e dançar no meio da rua, o não se importar com o olhar dos outros ou com o que vão pensar.


Essa espontaneidade que conquista, não o “se ele não me ligar eu não ligo”, “se ela não dizer eu te amo, eu também não digo”. Calcular os gestos de carinho de acordo com o nosso julgamento do que o outro merece, faz com que percamos a hora certa. Como saber qual é a hora certa? Bem, é a hora que você sente vontade de fazer. Essa é a hora de agir e se declarar, de fazer os momentos melhores e inesquecíveis. Perder a linha é ser espontâneo e essa é a melhor forma de vivermos de forma leve e despreocupada.


Menos rugas na testa e mais sorrisos no rosto. Distribua sorrisos e abraços sinceros, é disso que vamos nos lembrar no futuro. Nos melhores momentos da sua vida, o que ficam são as lembranças de alegria e boas risadas. Faça-as acontecerem!

COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS