Moça, se ele for de sagitário, você vai se apaixonar primeiro pelo fato de ele te fazer rir. Ele te conquista nas pequenas e grandes gentilezas do dia-a-dia. Daquelas bobas, que a gente nem considera mais, sabe? Mas que, quando feitas, são guardadas com carinho no coração.

Com ele, moça, você pode ser você mesma, então, esquece aquela necessidade de se montar. E deixa de lado os jogos também. E, com o tempo, você vai ver que sua insegurança também não terá usabilidade, porque ele vai te abraçar e querer do seu jeito natural. Com as suas sardas aparecendo. Com o seu cabelo cacheado solto. Com o seu corpo de mulher de verdade e não de manequim. Não se esconda, moça.

Pode falar do seu curso de engenharia avançada, que ele vai prestar atenção para tentar aprender e dar continuidade a conversa, mesmo ele sendo do curso de História. Pode carregá-lo pela vida, seja para o Rio Grande do Sul ou para algum país exótico da Ásia. Ele é companhia para todas as horas e ocasiões.

Ao mesmo tempo, ele também levará você para aventuras, porque ele é assim: o que é bom, gosta de compartilhar. Então, moça, prepare-se para viver sem muitos roteiros. Se a noite pedir para terminar no alto do prédio para assistir ao amanhecer, ele vai te levar até lá.

A parte aventureira dele também chega a cama. Ou ao chuveiro. Ou a escada do prédio. A dois ou a três. Ele é uma caixinha de surpresas e destemido quando o assunto é sexo. E, moça, deixa eu te dizer: as suas melhores experiências serão com ele, se você se jogar tanto quanto ele.

Ele não vai negar a oportunidade de te permitir fazer morada em seu espírito livre. Só não vire jaula, moça. Prender alguém nunca é sinônimo de amor. Se ele optar por ficar, pode deixar a porta aberta sem medo.

 

Escrito por Leca Lichacovski.

COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS