Respeito não se pede

Este artigo apresenta algumas atitudes benéficas para o bom relacionamento social e principalmente para a construção de vínculos profundos e verdadeiros.

Há poucos dias postei no Facebook algumas dicas de pequenas atitudes que podem tornar a nossa presença muito mais querida. Na Era das redes sociais ser popular parece a meta de muita gente. Mas, muitas vezes, escolhemos os caminhos equivocados para atingir o nosso objetivo. Porém, minhas dicas vão muito além de uma boa imagem social. Quem conseguir colocá-las em prática ( não é fácil) provavelmente atrairá boas energias e pessoas que valem a pena. E talvez, o mais importante: aprenderá a detectar quem não vale a pena.

Creio que não devemos excluir ninguém, mas também, não devemos abrir o coração para aqueles que nos machucam consciente ou inconscientemente. Não devemos esperar uma palavra de incentivo daqueles que só enxergam a si mesmos. Não devemos esperar uma ajuda daqueles que só sabem dizer não. Não devemos aprofundar as nossas relações com pessoas defendidas, que nunca se abrem de verdade , que sempre tentam aparentar ser mais do que são.

Em uma amizade verdadeira, cada um mostra para o outro o seu melhor e o seu pior. Em uma amizade verdadeira, não temos medo de mostrar o quanto somos frágeis. Muitas pessoas confundem relações sociais com relações de amizade. Com um amigo social, um amigo entre aspas, podemos tomar um chope ou receber em casa para um jantar. Mas dificilmente nos mostraremos tristes ou inseguros em relação a qualquer tema. Em uma relação meramente social estamos sempre bem e muitas vezes ostentar um novo eletrodoméstico da casa pode ser o assunto principal. As relações sociais geralmente, são pautadas pela competição, pelo consumismo e pelo narcisismo. Quem pode mais? Quem ganha mais? Qual casa é maior? Qual marido é mais gentil? Qual esposa é mais atraente? E por aí vai…

Vamos aos mandamentos?

1. Quer elogios sinceros, elogie com vontade. Seja gentil com as pessoas. Elogie qualidades que você realmente detecta nos outros, caso contrário, os elogios serão falsos. Tente observar se os seus amigos fazem o mesmo contigo. Se um amigo nunca te elogia, de duas uma: ou ele não vê nada de bom em você ou ele vê, mas não quer que você saiba. Em algumas culturas o elogio não é bem visto. Mas para os brasileiros sim. Existem pessoas que não elogiam porque realmente não gostam de elogios, porém, estas pessoas me parecem exceções.

2. Quer amigos verdadeiros, seja realmente leal. Muitas pessoas querem vínculos profundos, mas agem com superficialidade. Entregue-se aos seus amigos; tente torna-los felizes e autoconfiantes. Não ofereça migalhas do seu tempo e do seu coração. Tente observar se os seus amigos fazem o mesmo por você ou se te procuram apenas quando não há nada melhor para fazer. Tente observar se eles te prestigiam e compartilham dos bons e maus momentos da sua vida. Amigo de verdade se alegra com as suas conquistas e te consola nas suas tristezas.

3. Quer companhia agradável para uma cerveja, conte uma piada e sorria. Pessoas sorridentes e brincalhonas costumam atrair uma maior quantidade de relações sociais. Se o seu objetivo é um grupo animado para um chope depois do expediente, mostre que você é uma companhia leve.

4. Quer carinho, afague. Algumas pessoas se queixam de que os outros são frios, mas se esquecem de medir a própria temperatura. Muitos querem que os outros tomem a iniciativa num gesto de carinho. Quando alguém realmente deseja viver cercado de carinho, deve mostrar interesse pelas pessoas, pelos seus problemas, dar o primeiro passo.

5. Quer amor, abra o coração. Amor é como felicidade. É uma construção. Para encontrarmos o amor, precisamos antes de tudo, abrir o coração. Com o coração aberto já não é fácil encontrar alguém que enriqueça a nossa vida. Se o coração estiver fechado, na melhor das hipóteses, a pessoa viverá casinhos meramente sexuais. Entrar numa relação amorosa exige de nós comprometimento, vontade de compartilhar, disposição para se reciclar. Quem não abre mão de nenhuma mania e deseja 100% de liberdade dificilmente construirá uma relação duradoura.

6. Quer ajuda, estenda a mão. Não sei explicar bem o porquê, mas quando ajudamos de forma desinteressada, o universo trata de colocar no nosso caminho pessoas como nós: dispostas a ajudar sem pedir nada em troca.

7. Quer admiração, admita que o outro é brilhante. Pessoas capazes de ver e comentar as virtudes alheias, costumam brilhar muito. Pessoas generosas sabem que todos nós temos o direito de fazer conquistas. A felicidade de um não diminui a dos outros. O mundo é um lugar cheio de possibilidades e cada um merece o seu lugar ao sol e sua cota de aplausos.

8. Quer ser respeitado por seus conhecimentos e virtudes, escute com devoção o saber alheio. Conversar com um psicólogo sobre saúde emocional ou sobre aspectos técnicos das pinturas com um artista plástico é tarefa delicada. O que quero dizer? As pessoas gostam quando os outros demonstram interesse por sua profissão, mas é preciso tomar cuidado, para não ensinarmos o padre nosso ao vigário. Enfim, algumas pessoas nunca viram um filme de arte e querem discutir linguagem cinematográfica com um cineasta ou professor de cinema. Devemos sempre mostrar muito respeito ao saber alheio e jamais confundir gosto pessoal com os critérios técnicos de uma profissão.

9. Quer ser tratado como alguém especial, deixe as pessoas saberem o quanto elas são grandes para você. Poucas pessoas descobriram um truque irresistível: o que torna alguém especial, muitas vezes, não é o tamanho da conta bancária nem a quantidade de roupas de grife que acumula no armário. Tampouco, as medidas perfeitas. Um corpo bem cuidado é bonito. Uma roupa bem confeccionada é elegante. Uma conta polpuda oferece uma vida confortável materialmente. Mas o que torna alguém realmente especial é o que ela desperta nos outros. É a capacidade de tornar as pessoas ao redor mais felizes, mais leves. É a capacidade de apontar no outro o que ele tem de melhor.

10. Não devemos esperar dos outros o que somos incapazes de oferecer. Se não podemos fazer algo, por que esperar que os outros façam? Se eu sou desorganizada, por que eu devo exigir que o meu parceiro não espalhe coisas pela casa? Se eu sou individualista , por que eu devo esperar que os outros se preocupem comigo? Se eu nunca faço a vontade dos meus amigos, por que devo esperar que eles abram mão dos seus compromissos por mim?

Enfim, a vida é uma rua de mão dupla, cheia de sinalizações. Devemos aprender a ler as placas, respeitar a faixa alheia , dar passagem e desviar de quem dirige perigosamente.

FONTEObvius
TEXTO DESílvia Marques
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS