Quer mesmo saber se estou bem?

Desculpa, mas é um prazer singular saber que você sente saudades, que te faço falta até hoje. Tem gente que perde e nem sente, tem gente que sente ao perder, tem gente que só acredita que perdeu quando o outro já tem ido, tem gente que perde por perder e tem você, que me perdeu sem perceber e não sei o que é pior nessa situação, se perder alguém sem querer ou querendo. Durante muito tempo eu me esforcei, tentei te impressionar, te dei as minhas madrugadas só pra ficar mais algumas horas ao teu lado. Fui o impulso que sentia ao ver você me ligando, fui o prazer de ter você ao meu lado, fui também a paixão cega que te quis mesmo sem saber se você me merecia, fui muito amor, até o dia que eu fui embora porque eu estava sendo qualquer coisa, menos eu. Descobri quem eu sou e o que sou não é exatamente o que você esperava que fosse. É clichê te dizer isso, mas agora é um novo tempo e eu só quero ser feliz. Não quero impressionar ninguém. Agora, amigo, sou tão outra que talvez você nem me reconheça mais.

Quando brigamos pela milésima vez e decidimos nos distanciar, não era exatamente o que eu queria. Eu disse que a gente precisava se afastar porque você me fez acreditar que com você e sem você não teria diferença alguma e que sorrir sozinha é bem melhor do que viver chorando ao teu lado. Eu disse que não mais te procuraria e pedi pra que você também não me procurasse porque você me fez desacreditar no amor que existia entre nós. Só recusei as suas ligações porque já sabia que você tinha me recusado da tua vida. Não te liguei mais porque durante um bom tempo você me fez acreditar que eu não era mesmo importante pra você, o teu ”bom dia” ficava sempre pra depois, a tua voz sempre cansada, ouvi-la ficou cada vez mais difícil. Decidi não mais me importar, nem te procurar porque de todas as tentativas pra me aproximar de você, você não enxergou, e de todas os sorrisos que tirei pra você, você não os regou, nem os colheu como deveria, eu até te agradeço por facilitar tanto a minha saída e me dar motivos de sobra pra não ser sua.

É engraçado porque quando me diziam que você não servia pra mim, eu discordava e sempre insistia. Agora, não tenho mais assunto pra conversar com você porque a vontade que eu tinha de varar a madruga te admirando e tentando entender como você conseguiu me ganhar, acabou. Agora, eu não tenho mais nada pra te dizer, nem quero perder o meu tempo tentando te explicar como deixei de te querer. As coisas vão bem, obrigada, e não vejo necessidade alguma de tentar confundi-las agora. O que é mesmo pra ser, apenas é, não é isso?

Eu queria acreditar que essa pergunta que você me faz quando percebe a minha ausência é mesmo pra me mostrar que ainda se preocupa comigo ou uma carência só pra me contar que você está feliz sem mim, e talvez nem esteja. Queria acreditar que quando você me liga é realmente por engano ou só uma vontade de dizer: ”Ei, eu ainda estou aqui, meio perdido” como você sempre foi. Eu queria acreditar que aquelas mensagens que você me enviou no natal ou no réveillon do ano passado foram mesmo pra me desejar tudo aquilo que li ou se você só queria dizer o que eu já sei: ”Eu te perdi, tá foda ver tanta gente sorrindo e eu aqui sem você”. Eu queria acreditar que quando você me pergunta se estou bem é realmente pra saber se estou só ou uma necessidade de ser respondido, nem que seja com um ”tá tudo bem, sim” sem qualquer outra interrogação ou esforço pra continuar a conversa. Sinceramente, eu queria acreditar que você se sente bem ao me ver saindo, viajando e sorrindo sem você. Queria acreditar que você se sente confortável em saber que estou livre, que posso ser pra qualquer pessoa menos pra você, e que por escolha exclusivamente minha (que isso fique bem claro) eu ainda não optei por encontrar alguém que ocupasse o lugar que você ocupou. Eu queria mesmo acreditar que você não olha pra mim, que quando me ver por aí, não sente nenhum arrependimento em saber que, apesar da merda que cê fez, eu tô inteira e andando sem medo. É uma pena que isso tenha acontecido com você. É uma pena que você ainda não tenha se encontrado desde o dia que tentou me perder. Lembra quando você propôs que eu te esquecesse? Então, espero que realmente esteja satisfeito com o meu esquecimento e que finalmente, tenha entendido que quem muito se ausenta uma hora deixa de fazer falta. Nada dói. Essa coisa distorcida e danosa entre nós finalmente acabou. Mais uma vez, estou bem, obrigada, e espero que com você, esteja tudo bem também, mas não me importo se não estiver. Tô feliz e me encontrando a cada dia, e o detalhe mais importante de tudo isso: livre de você.

FONTEIandê Albuquerque
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS