Quando o amor é suave

Fumaça branca de algodão. É manhãzinha. Acordar pra ver tua face de marshmallow. Te beijar é a melhor coisa do mundo. Cílios coloridos suspensos. Boca de babaloo. Não quero perturbar teu sono. Controlo meu impulso de língua. Fico olhando a vida pela janela. Nuvens de limão siciliano passando e se encostando. O amor é suave, por isso ergo as pernas para o teto, you planted your eyes on my feet.

Tu fica tão bem na minha cama, tua cor rosada combina com o meu lençol. Nunca lavo a fronha do teu travesseiro, coloco debaixo do nariz nas madrugadas em que perco o sono. Pipoca de caramelo cheira assim o teu cabelo.

I like you the best. E de ficar encolhida no teu colo como um bebê curtindo o teu sorriso volátil. Teu sorriso não cresceu depois dos 12. Esse teu ânimo de menino foi o que me fisgou desde o primeiro dia. Primeiro encontro e tu veio sorrindo. Caí por ti. Bobo.

Passaria horas olhando pro teu umbigo. Catalizando a tua essência cintilante. Ai, só um beijinho, um beijinho só não vai te acordar. Um beijo no meio, interstício das vontades. Não resisto, encosto minha cabeça ali, só um pouquinho, pra ouvir o barulhinho do teu espírito. É, acho que ele está com fome. Vou preparar o café pra trazer na cama. Gosto de te fazer agrados. Só mais um minuto aqui perto. Juro que já vou. Mas agora me deu vontade de lamber o teu umbigo. Tu sorri, acho que sentiu cócegas. Desisto. Me aconchego próxima ao teu rosto, encosto meu ouvido na tua boca pra apreender tua respiração mansinha. Encontro o ritmo. O tempo já não consegue me alcançar. A vida para. E eu sonho o mundo junto contigo.

TEXTO DEBruna Regina Pietra Abrahão
COMPARTILHAR





COMENTÁRIOS